Aumente seu conhecimento no mundo Veterinário

Junte-se a milhares de apaixonados por animais. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Doenças respiratórias em felinos

As doenças respiratórias costumam acometer, de forma frequente, os gatos. Podem ser causadas por bactérias, fungos, vírus ou processos alérgicos. Os dois tipos de vírus mais comuns nas doenças respiratórias dos felinos são: o Herpesvirus e o Calicivirus. Ambos provocam sintomas muito semelhantes.

A rinotraqueíte é causada pelo Herpesvirus, e é também conhecida como a "gripe do gato", pois os sintomas são parecidos com os de uma gripe. Os animais atacados pela gripe felina apresentam espirros, conjuntivite (podendo ou não ter úlceras na córnea), febre, falta de apetite, tosse, lesões na boca (úlceras), pneumonia.

Os filhotes são mais susceptíveis e ficam mais debilitados, podendo vir a óbito ou ficar cegos em decorrência das lesões oculares. Entretanto, os animais de qualquer idade estão sujeitos a esse mal. As úlceras na boca causam dor e impedem o animal de comer, portanto, quanto mais cedo se iniciar o tratamento, melhores as chances de recuperação do animal.

 O espirro é a maior fonte de infecção. Os animais que se recuperam tornam-se portadores do vírus, podendo apresentar recidivas frequentes da doença, principalmente após períodos de stress.

Para o controle deve-se manter o ambiente limpo e desinfetado, com densidade populacional baixa e o local onde os animais permanecem deve ser bem ventilado. Os gatos doentes devem ser isolados dos saudáveis. A doença não é transmissível para cães ou pessoas. A vacina é o melhor meio de prevenção contra os dois tipos de vírus, e somente animais saudáveis devem ser vacinados.

É muito difícil diferenciar qual dos dois vírus está afetando o gato, mas o tratamento é o mesmo. O importante é que ele se inicie o mais rápido possível. Portanto, assim que você observar seu gato espirrando e/ou com os olhos lacrimejando, leve-o imediatamente ao veterinário.

Fonte: WebAnimal

Adaptação: Revista Veterinária

Conheça o Curso de  Emergência e Pronto Atendimento em Pequenos Animais

   

Artigos

Clínica Médica

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)
Deixe seu comentário:

Comentários

Esta publicação não possui comentários.

Conecte-se ao mundo Veterinário gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2016 Revista Veterinária. Todos os Direitos Reservados.