Aumente seu conhecimento no mundo Veterinário

Junte-se a milhares de apaixonados por animais. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Animais de estimação contribuem para mudanças nos Mercados Profissional e Comercial

O modo de vida da sociedade, nos últimos anos, promoveu estreitamento nas relações entre seres humanos e animais de companhia. Esses laços com os animais têm permitido uma melhor superação de situações adversas e qualidade de vida aos seres humanos. Além disso, em alguns casos específicos, como doenças crônicas e terminais, cães e gatos têm sido importantes pela participação em programas de zooterapia, auxiliando na recuperação psicológica de pacientes, desempenhando, dessa forma, um papel social importante.

Prova disso é o crescimento no número de animais de estimação alcançado recentemente. Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Alimentos Pet (2007), calcula-se que existam atualmente no Brasil cerca de 31 milhões de cães e 15 milhões de gatos, sendo o segundo país do mundo em número de animais de companhia.

Por causa dessa maior proximidade aumenta a preocupação em proporcionar a esses animais boa saúde e melhor qualidade de vida, aumentando a longevidade e o bem-estar, e a alimentação é um fator primordial nesse processo. Oferecer nutrição adequada aos cães e gatos pode funcionar como uma importante medida de saúde preventiva, evitando a ocorrência de distúrbios secundários, tais como obesidade, patologias ósseas, dentre outras. Essa necessidade está promovendo um grande avanço no campo da nutrição e alimentação destes.

O maior conhecimento a respeito de suas necessidades nutricionais possibilitou o crescimento do mercado de alimentos comerciais observado nos últimos anos. Segundo dados da ANFAL-PET, em 2007, a indústria brasileira do setor produziu 1,8 milhões de toneladas de alimentos para cães e gatos. A Região Sudeste é a maior responsável por este resultado, respondendo por 52,64% do mercado, seguida pela Sul (40,42%), Centro-Oeste (4,45%), Nordeste (1,94%) e Norte (0,55%). O balanço mostrou aumento de 4,26% em relação a 2006, o que representa um faturamento em torno de US$ 3,07 bilhões. Esses números levam o Brasil à colocação de segundo maior mercado do mundo em volume de produção, com uma geração de cerca de 12.000 empregos diretos.

Os produtos gerados estão segmentados em quatro categorias principais: econômica ou básica, que representa 65% do mercado e absorve todo o crescimento do setor; Standard, que representa 23% do mercado; Premium - 8% do mercado; Super Premium (4%).

Diante dessa diversidade de produtos, em busca de orientações, de como melhor alimentar seu animal de estimação, as pessoas procuram os médicos veterinários, aumentando a procura por tais profissionais. Além disso, o crescimento alcançado pelo setor da indústria de alimentos comerciais gerou nos últimos anos espaço para atuação de profissionais da medicina veterinária, zootecnia e agronomia, com o objetivo de garantir o controle da qualidade das matérias-primas utilizadas, de possibilitar a elaboração de formulações adequadas e que atendam às exigências dos cães e gatos e de realizar assessoria técnica em clínicas veterinárias e junto a canais de comercialização, entre outros.

Fonte: Portal da Educação

Adaptação: Revista Veterinária

     

Conheça o Curso de Técnicas Nutricionais para Cães e Gatos - Aprenda a indicar a ração ideal

 

Artigos

Deixe seu comentário:

Comentários

Esta publicação não possui comentários.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo Veterinário gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2018 Revista Veterinária. Todos os Direitos Reservados.