Otohematoma em cães

Denomina-se otohematoma o acúmulo de sangue devido a algum trauma entre a pele e a cartilagem da orelha. O abscesso cresce com o tempo se não forem tomadas providências corretas pois após a formação do coágulo há uma grande produção de fluido no local, denominado seroma.

O otohematoma geralmente é um problema secundário, uma vez que é formado na maioria das vezes por trauma na orelha quando o animal vai coçá-la com a pata. Causas mais comum de coceira são as otites e picadas de moscas, que ao bater a pata na orelha para espantá-las o animal acaba lesionando algum vaso que posteriormente evolui para um coágulo.

Quando identificado o aumento de volume na orelha do animal, o mesmo deve ser encaminhado para uma clínica veterinária, onde, através de um procedimento estéril o médico veterinário drenará o conteúdo do hematoma com uma seringa acoplada a uma agulha. Geralmente é necessária uma leve sedação do animal, pois o local fica dolorido, além de precisar de uma boa contenção por lidar com material pérfuro-cortante, evitando possíveis acidentes. Após a drenagem deve ser feito um curativo no local que proteja a ferida de outros traumas.

Infelizmente, na maioria dos casos, uma única drenagem não é suficiente e quando há grande recidiva, através de uma avaliação específica do animal o profissional o encaminha para uma cirurgia.

O cuidado somente com o próprio otohematoma não resolve o problema, sendo indispensável o tratamento da causa primária.

Esse problema pode ser diagnosticado em qualquer raça, porém, raças como Beagle, Cocker e Basset são pré-dispostas devido às suas grandes orelhas, que podem sofrer traumas que provoquem o hematoma ao se chocarem uma contra a outra durante uma corrida, por exemplo.

Assista o vídeo:

 

Fonte: Web Animal

Adaptação: Revista Veterinária

   

Conheça o Curso de Cirurgias em Pequenos Animais

Vídeos

Newsletter
Receba as novidades da
Revista Veterinária no seu email!
Sites relacionados
© 2014 Revista Veterinária. Todos os Direitos Reservados.