Aumente seu conhecimento no mundo Veterinário

Junte-se a milhares de apaixonados por animais. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Tricobezoares em Felinos

Como hábito constante de higiene, o gato limpa sua pelagem com a língua, que possui papilas filiformes e funcionam como uma "escova ou lixa" na remoção de pelos mortos soltos na superfície da pele durante a lambedura. Dessa maneira, ocorre a ingestão de quantidades variadas de pelo. Alguns fios de pelo ingeridos não conseguem se deslocar pelo peristaltismo e se misturam com restos de alimentos e secreções gástricas na mucosa gástrica, podendo conglomerar-se em sólidas massas no estômago ou no intestino, conhecidas popularmente, como "bolas de pelo" (tricobezoares).

A falta de motilidade intestinal durante períodos de jejum, pelagem de pelo longo e ingestão de pelo durante a higiene são fatores predisponentes à formação de tricobezoares na espécie felina. Doenças de pele também podem contribuir para um aumento na ingestão de pelos, como consequência de lambedura ou mordedura excessiva nas áreas acometidas, como nos casos de dermatite alérgica a picada de pulgas e atopia. Situações de estresse como alterações na rotina do gato, podem desencadear lambedura excessiva psicogênica, devendo, portanto, ser evitadas.

Geralmente, na maioria das vezes os gatos expelem os pelos ingeridos através do vômito, entretanto, ocasionalmente, um conjunto de bolas de pelo pode acumular numa extensa área que tem o potencial de causar uma potencial obstrução.

 Em casos obstrutivos, os principais sinais clínicos incluem anorexia, perda de peso, vômito, diarreia e dor abdominal. A melhor opção terapêutica é a intervenção cirúrgica. Em alguns casos a realização de lavagem intestinal pode ser o suficiente para resolução do problema. Em felinos, jamais deve ser realizado enema à base de fosfato de sódio já que é absorvido pela mucosa retal causando intoxicação grave com alterações eletrolíticas importantes como hiperfosfatemia, hipocalcemia e hipernatremia. Sinais clínicos como depressão, ataxia, vômito, gastroenterite hemorrágica, palidez de mucosa, estupor e óbito, iniciam-se cerca de 30 a 60 minutos após a administração do enema.

Condutas preventivas para evitar a formação de tricobezoares incluem escovação diária e frequente, além de tosa periódica (a cada 3 a 4 meses) em gatos de pelo semi-longo ou longo, fornecimento de rações específicas para gatos, de alta qualidade e com grande quantidade de fibras, fornecimento periódico de suplementos vitamínicos, com malte em sua formulação, e em casos de gatos com constipação crônica, pode ser adicionado à dieta, fibras do tipo Psyllium, que auxiliam na motilidade do trato digestivo.

Fonte: Tathiana Mourão dos Anjos (ANJOS, T.M.)

         

Conheça o Curso de Cirurgias em Pequenos Animais!

   

Áreas

Notícias

Pequenos Animais

Para você que quer ser um expert em Cardiologia Veterinária: Este é o caminho do sucesso!
Deixe seu comentário:

Comentários

  • Revista Veterinária - 09:22:31 21/08/2018

    Vandecira, o ideal é consultar um médico veterinário. É necessário estabelecer um plano nutricional de qualidade para o animal, assim é possível evitar problemas futuros por excesso ou falta de nutrientes.
  • Vandecira Santos - 00:26:46 21/08/2018

    Na verdade é uma dúvida,quantas vezes por dia posso dar malte a minha gata? e em que quantidade?

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo Veterinário gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2018 Revista Veterinária. Todos os Direitos Reservados.