Aumente seu conhecimento no mundo Veterinário

Junte-se a milhares de apaixonados por animais. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Por que meu tratamento para Erliquiose não funcionou?

Para todo tratamento existem animais, mesmo que raros casos, que não respondem como o esperado. A doença erliquiose não foge a essa regra. Existem diversas possíveis explicações para esse fato, dentre elas, a medicação utilizada não surtir efeito em tal organismo ou a enfermidade estar associada a alguma outra, que geralmente é o caso que mais se encaixa nessa situação.

O tratamento preconizado pela literatura para a erliquiose canina por ser mais seguro e eficaz é a doxiciclina na dose de 5 mg/kg a cada 12 horas durante 28 dias. Antibióticos já foram muito utilizados, porém nenhum apresenta-se com eficácia comparada à doxiciclina no combate desta infecção.

A Babesiose canina pode estar facilmente associada à erliquiose, uma vez que as duas dividem o mesmo agente transmissor, o carrapato Riphicephalussanguineus. Nesses casos, a combinação do dipropionato de imidocarb (5 a 7 mg/kg em dose única e repetição após 15 dias) costuma ser o  suficiente para curar o animal das duas.

Para constatação do não sucesso do tratamento, antes de serem reavaliados os sinais clínicos, o veterinário deve se certificar que a medicação foi administrada corretamente por parte do proprietário e perguntar ao mesmo se o animal apresentou êmese constante, pois, se isso ocorreu, pode não ter dado tempo do organismo absorver a quantidade necessária da droga para sua ação. Podendo o animal ser também sensível ao medicamento ou ter gastrite medicamentosa, o que provoca a êmese. Após definição que a ineficácia está realmente no tratamento prescrito, sinais clínicos devem ser observados, como: diátese hemorrágica, petéquias, epistaxe, sangramento auricular, urina de cor escura, apatia e anemia. Nesses casos o uso da prednisona (0,5 a 1 mg/kg/SID por 7 a 10 dias), com o intuito de auxiliar na estabilização do quadro, costuma ser necessário.

Agora, se há melhora clínica e apenas os resultados laboratoriais não apontam a efetividade do tratamento, não deixa de ser um bom indício, uma vez que muitos animais demoram a demonstrar recuperação dos parâmetros hematológicos, principalmente àqueles em fase crônica da infecção.

Fonte: Revista "Nosso Clínico - Medicina Veterinária para animais de companhia" - Ano14 - Nº84 - NOV/DEZ 2011 Adaptação: Revista Veterinária      

Conheça o Curso de Emergências e Pronto Atendimento em Pequenos Animais!

   

Áreas

Pequenos Animais

Para você que quer ser um expert em Cardiologia Veterinária: Este é o caminho do sucesso!
Deixe seu comentário:

Comentários

  • Kristiane - 21:21:18 06/06/2015

    Estou muito preocupada pois o tratamento com a doxiciclina nao esta funcionando com minha cachorra. Inicialmente fiz um tratamento durante 21 dias com dose unica de 100mg. Passados 20 dias minha cachorra voltou a sangrar o nariz. Então a veterinaria reiniciou o tratamento com a mesma Doxy 100 e Imizol injetavel de 15 em 15 dias e ainda administrou 3 doses de Vita K. Não funcionou também. Passamos para o terceiro tratamento mudando de laboratório. Dessa vez o Doxitec de 200 mg inicialmente duas vezes, mas ela começou a vomitar e nao aceitar a medicação dai passou para uma vez ao dia. Ja estou no 13º dia de tratamento e o sangramento no nariz nao parou. Estou sem saber o que fazer pois a veterinária me disse pra talvez procurar outas alternativas. Pra ver se a cachorra nao esta com problemas no nariz... entendeu minha situação de desespero? Me ajude por favor. Mande alguma informação pelo meu email kristianepires2008@hotmail.com. Serei muito grata. Obrigada.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo Veterinário gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2018 Revista Veterinária. Todos os Direitos Reservados.