Aumente seu conhecimento no mundo Veterinário

Junte-se a milhares de apaixonados por animais. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Leishmaniose - medidas simples que podem prevenir a proliferação do mosquito

A leishmaniose é uma zoonose transmitida através da picada de um mosquito flebótomo chamado mosquito Palha ou Birigui . Geralmente, a doença acomete cães sadios, enquanto que, nos humanos, tem predileção por pessoas com imunidade diminuída (crianças, idosos, doentes).

O mosquito da leishmaniose possui um ciclo de reprodução diferente daquele da dengue. O mosquito fêmea da dengue precisa da água para colocar seus ovos, enquanto a fêmea da leishmaniose coloca seus ovos em área rica de matéria orgânica.

O primeiro passo é ficar atento para não deixar acumular matéria orgânica na sua casa. Portanto, é importante manter o jardim capinado, a cerca viva muito bem aparada, manter o galinheiro limpo e o lixo, em lixeiras. Recolher as fezes dos cães, diariamente, e também recolher frutas/frutos e folhas que caem em seu jardim. Deve-se queimar o lixo, quando não residir em área urbana que faça a coleta diária.Outros cuidados que podem ajudar são: plantar citronela e quaisquer outras plantas sabidamente repelentes de insetos.

O óleo de citronela é barato, fácil de ser encontrado, atóxico e pode ser usado no ambiente, diluído em água, nos cães e até em humanos, como repelente do mosquito. Usa-se, também, em tochas, velas, pingado sobre lâmpadas, enfim, vale deixar tudo cheirando à citronela e manter bem longe o mosquito transmissor da leishmaniose.

O óleo de Neem é outra opção barata; é atóxico e pode ser usado no ambiente, nos cães e também em humanos, como repelente.

Pode-se, ainda, livrar os cães de pulgas e carrapatos. Ele é reconhecidamente um inseticida natural, de uso seguro.

O produto também deve ser aplicado nos canis (paredes e telas) e nos portais de janelas e portas das residências e apartamentos.

Também podemos citar o alho, administrado aos cães (não pode ser dado para gatos) de uma lasca fina e crua, todos os dias, o que ajuda bastante a tornar os pelos indesejáveis aos insetos. Tirar os cães da rua, nos horários de maior concentração de mosquitos é importante, e, por fim, vento, muito vento que ajuda a afastar os mosquitos de perto de nós e dos nossos animais de estimação.

  Fonte:Blog Mãe de Cachorro Adaptação: Revista Veterinária  

Conheça o Curso de Emergência e Pronto Atendimento em Pequenos Animais

 

Notícias

Deixe seu comentário:

Comentários

Esta publicação não possui comentários.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo Veterinário gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2018 Revista Veterinária. Todos os Direitos Reservados.