Aumente seu conhecimento no mundo Veterinário

Junte-se a milhares de apaixonados por animais. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Hiperatividade é um desequilíbrio emocional que pode atingir os cães

A hiperatividade atinge não somente os seres humanos, mas também os animais. A hiperatividade é um distúrbio de comportamento (um desequilíbrio emocional) que deve ser tratado de maneira ampla, pois ele gera muitos desgastes ao animal e ao ambiente em que vive. Os cães hiperativos são normalmente cães com problemas de comportamento e não com problemas fisiológicos.

A sua causa pode ser genética ou se desenvolver a partir do ambiente e da criação que o animal recebe. Algumas raças estão predispostas a terem hiperatividade, como, por exemplo, após uma série de pesquisas foi constatado que o mais excitado é o Fox Terrier e o menos é o Rotweiller, mas não é uma regra e qualquer cão, de qualquer raça, pode ter um sistema nervoso sensível, e dependendo da vida que leva, pode ter dificuldade para controlar seus impulsos e sua ansiedade.

Os sintomas mais comuns de animais com hiperatividade é a dificuldade em relaxar, dificuldade de concentração, o animal se torna destruidor e extremamente agitado. Na maioria dos casos os animais apresentam uma grande tendência a se tornarem dominantes, pois, com a dificuldade de concentração é mais difícil deles obedecerem aos comandos. Um fator que contribui para hiperatividade é o confinamento e reserva de energia, pois o animal não consegue consumir a energia necessária de acordo com a sua natureza.

 Mudar alguns hábitos podem ajudar os cães  que demonstram com agitação e inquietação:

Procure levar seu cão para fazer exercícios através de caminhadas e brincadeiras, esses passeios deverão ocorrer de uma forma tranquila, onde o animal deverá sempre andar atrás ou ao lado do dono.

Você deverá mostrar ao animal que você é quem manda por isso deve-se estipular horários para alimentação, nesse caso a ração nunca deverá ser deixada à vontade.

Esse animalzinho necessita de limites e de uma dominância bem ativa e firme, as punições não deverão ser físicas, muito pelo contrário o animal deverá respeitar o dono pelo que ele é não por temê-lo. O proprietário deverá agir de modo firme com voz ativa, olhar nos olhos colocar o dedo indicador no focinho, segurar no dorso para que seu animal veja que você está infeliz com a atitude dele e que é você que manda.

Além dos passeios para consumir energia é imprescindível que esse animal tenha coisas que o façam se distrair como brinquedos, ossos, ou até mesmo outros animais.

Fonte: Coisa de Amigo

Adaptação: Revista Veterinária

Conheça o Curso de Cardiologia em Pequenos Animais

 

Notícias

Deixe seu comentário:

Comentários

Esta publicação não possui comentários.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo Veterinário gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2018 Revista Veterinária. Todos os Direitos Reservados.