Aumente seu conhecimento no mundo Veterinário

Junte-se a milhares de apaixonados por animais. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Brasil desenvolve e domina a técnica de Reprodução Bovina

Brasil é o grande produtor de embriões de bovinos, tanto pelo método convencional de Transferência de Embriões (TE) a fresco ou em laboratórios por meio da Fertilização In Vitro (FIV),

Após o início das pesquisas, por quase trinta anos, o país pode comemorar não só o sucesso no desenvolvimento e domínio das técnicas usadas na reprodução animal assistida, mas a conquista do espaço definitivo desse mercado. O Brasil é apontado como referência mundial na produção de embriões, segundo a  entidade internacional Embryo Transfer Society (Iets), criada com o propósito de orientar, assistir e fiscalizar o desenvolvimento das pesquisas no campo das biotecnologias reprodutivas. A popularização da técnica de fertilização de bovinos em laboratório, processo iniciado na década de 1990, aconteceu de maneira gradual e motivada basicamente por necessidades mercadológicas. Faz pouco tempo que o conhecimento sobre a tecnologia foi ampliado, e o surpreendente avanço da produção coloca a pecuária brasileira definitivamente em pé de igualdade com os países mais desenvolvidos no mundo. Durante os últimos cinco anos, a produção nacional saltou de 60.000 para 200.000 embriões transferidos/ano, aproximadamente, sendo que mais de 90% foram produzidos em laboratório. A escala e padronização dos produtos de origem animal, somados à própria competição por espaço entre pecuária, agricultura e bioenergia, também contribui para uma maior produtividade, isso se dá na  busca incessante por eficiência da produção animal. Hoje, não é mais medida por arrobas, mas pela taxa média de desfrute dos rebanhos ou por Kg. de carne/hectare/ano ou litros de leite/hectare/ano. Pelo método convencional de reprodução por meio das técnicas de Inseminação Artificial (IA), cada vaca doadora pode dar no máximo um bezerro por ano, nas técnicas de TE e FIV o rebanho é multiplicado em número de 15 até 50 crias por ano, respectivamente. O efeito desse resultado é extremamente positivo para o melhoramento genético do gado, mas só sendo executado por profissionais gabaritados para tal e em condições propícias.   Fonte: CFMV Adaptação: Revista Veterinária    

Conheça o Curso de Transferência de Embriões em Bovinos

     

Bovinos

Notícias

Deixe seu comentário:

Comentários

Esta publicação não possui comentários.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo Veterinário gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2018 Revista Veterinária. Todos os Direitos Reservados.