Aumente seu conhecimento no mundo Veterinário

Junte-se a milhares de apaixonados por animais. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

A permanência de cavalos em estábulos pode provocar distúrbios comportamentais

Uma criadora do cavalo quarto de milha relatou que está tendo dificuldades no manejo dos cavalos garanhões. De acordo com a criadora os cavalos ficam em baias limpas, de 4 x 4 metros e fechadas apenas no lado de divisão entre os animais. Embora sejam levados diariamente para caminhar e fazer exercícios e, a cada três meses, receba pasta de verme, os cavalos comem as próprias fezes. A dúvida da criadora é de como interromper esse estranho hábito.

A consultora Sandra Aparecida Santos, pesquisadora da Embrapa Pantanal, explica que o ato de comer outros materiais que não sejam alimentos é conhecido como "pica" ou apetite depravado. No caso de ingestão de fezes, muito comum em cavalos estabulados, o nome dado é coprofagia.

Com a permanência deles em estábulos pode provocar alguns distúrbios comportamentais, pois o hábito natural dos equinos é viver em grandes áreas de pastagens ou campos. Tédio, solidão, manejo inadequado, estresse e deficiência nutricional são alguns dos fatores que podem levar os animais a agirem de maneira diferente.

A consultora recomenda avaliar se a dieta do equino está equilibrada consultando um zootecnista ou médico veterinário local, apesar de o tédio ser mais frequente em cavalos estabulados.

Uma recomendação é deixar o cavalo ter acesso ao pasto por mais tempo, isto pode ajudar no controle do hábito indesejado. Se não for possível, disponibilize ração balanceada e feno (volumoso) várias vezes ao dia, na quantidade e qualidade recomendada, de modo que o animal fique ocupado alimentando-se sem muito tempo para sentir-se entediado. Vale lembrar que, enquanto para cavalos adultos comer fezes é um problema, para potros o ato é importante para o estabelecimento da flora bacteriana.

Fonte: Revista Globo Rural

Adaptação: Revista Veterinária

Conheça o Cursos de Inseminação Artificial em Éguas e Coleta, Avaliação e Criopreservação de Sêmen em Garanhão

 

Notícias

Deixe seu comentário:

Comentários

Esta publicação não possui comentários.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo Veterinário gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2018 Revista Veterinária. Todos os Direitos Reservados.