Aumente seu conhecimento no mundo Veterinário

Junte-se a milhares de apaixonados por animais. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Uma Páscoa feliz para os coelhos e cães

Com a chegada da Páscoa é comum que as crianças queiram um coelho de presente além, é claro dos chocolates. Muitas vezes os pais cedem às vontades dos filhos sem se preocuparem com os cuidados que o bicho deverá ter. Muitos dos bichos adquiridos são  filhotes e acabam morrendo após alguns dias por falta de cuidados especiais, manipulação inadequada e falta da mãe. Às vezes são abandonados ou viram comida.

As pessoas devem ter consciência que os coelhos são seres vivos, e não animais de pelúcia. Vivem em média6 a8 anos, necessitam de uma alimentação especial e equilibrada, ambiente apropriado, extremamente sensíveis a mudanças de temperatura, o esqueleto é delicado devendo ser manipulados com cuidado, pois podem fraturar os ossos mesmo em pequenas quedas ou pisadas. Deve-se evitar carregá-los pelas orelhas.

É necessário a consciência de todos na compra de animais, ela nunca deverá ser feita por impulso. Os animais necessitam de cuidados por toda a vida, como: alimentação apropriada à sua espécie; instalações adaptadas; visitas regulares ao veterinário; carinho; tempo; atenção e, sempre que possível, uma companhia  da mesma espécie. Se não há condições de oferecer esses cuidados, é melhor deixara quem tem.

Outro animal que pode sofrer com a Páscoa é o cão. Muitos proprietários dividem os chocolates com ele porém, isso não é saudável. O chocolate além de ser muito gorduroso e calórico, pode levar a, intoxicação do animal através das substâncias metilxantinas (capacidade viciante), sendo as principais a cafeína e a teobromina. A vilã para o cão é a teobromina.

Se o chocolate for gorduroso terá menos quantidade de teobromina se for escuro a quantidade aumentará. O chocolate amargo possui cerca de 1.35% de teobromina, já no branco o valor cai para 0,005%. Mesmo com teor baixo deve ser evitado aos cães. É mais comum ocorrer intoxicação em animais de pequeno porte ou animais jovens, pois há maior quantidade de chocolate disponível em relação ao seu peso corporal.

Os sintomas da intoxicação por chocolate são: aumento da frequência cardíaca, arritmias, aumento da micção (eliminação de urina), aumento da pressão arterial, hiperatividade, inquietude, insônia, tremores, convulsões e até mesmo o coma e consequente morte, dependendo da quantidade de chocolate que o cão ingerir.

Uma maneira de evitar a intoxicação é comprar chocolates feitos especialmente para cães. O chocolate não contém cacau nem as xantinas que levam a intoxicação.

Fonte: WSPA Brasil Adaptação: Revista Veterinária  

Conheça o Curso de Emergências e Pronto Atendimento em Pequenos Animais

 

Notícias

Deixe seu comentário:

Comentários

Esta publicação não possui comentários.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo Veterinário gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2018 Revista Veterinária. Todos os Direitos Reservados.