Aumente seu conhecimento no mundo Veterinário

Junte-se a milhares de apaixonados por animais. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Caracterização da mastite bovina

A mastite é uma doença microbiana causada por vermes que infeccionam as mamas, podendo invadir o úbere através da cânulos mamários ou alargadores de tetas. A ordenha mal feita e a falta de higiene podem causar a mastite.

Os animais acometidos pela mastite aguda ou clínica apresentam o úbere inchado, de cor avermelhada, dolorido e quente; leito aguado ou grosso, de cor amarelada, com flocos ou coágulos; o animal diminui a produção de leite, perde o apetite e consequentemente o peso.

Já a mastite subclínica somente pode ser detectada por meio de exames laboratoriais ou testes executados ao pé da vaca, ou seja, não há sintomas característicos nessa fase da doença.

Os animais acometidos apresentam baixa produção de leite, perda de um ou mais quartos do úbere, acidez do leite, desvalorização comercial da vaca, e possível perda do animal por infecção irreversível.

 

Como é realizado a avaliação de fatores de risco fora da sala de ordenha?

Quais os testes utilizados para diagnósticar a mastite clínica e subclínica?

Shop veterinário: Melhores produtos para bovinos, você encontra aqui. Confira!

 

Fonte: Blogspot

Adaptação: Revista Veterinária

 

 

Conheça o Curso de Manejo de Ordenha e Qualidade de Leite (Controle de mastite) 

Bovinos

Destaques

Notícias

Deixe seu comentário:

Comentários

Esta publicação não possui comentários.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo Veterinário gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2018 Revista Veterinária. Todos os Direitos Reservados.