Aumente seu conhecimento no mundo Veterinário

Junte-se a milhares de apaixonados por animais. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Anemia também pode acometer os animais

A anemia se caracteriza como a presença de eritrócitos, concentração de hemoglobina ou hematócrito menores que os valores normais de referência. Raramente se constitui como uma doença primária, sendo geralmente o resultado de um processo, ou seja, doença generalizada.

É importante saber a causa da anemia para que o tratamento seja empregado de forma correta e racional, uma vez que não deve ser direcionado somente pela anemia, a não ser como medida de emergência.

Os sinais clínicos resultam da reduzida capacidade do sangue carrear o oxigênio e de certos ajustes fisiológicos que aumentam a eficiência da reduzida massa de eritrócitos circulantes e reduzido trabalho do coração.

O desenvolvimento dos sinais clínicos, que podem ser variados, dependendo do grau e da causa da anemia. Os sinais mais comuns são: dispneia; intolerância ao exercício; palidez das mucosas; aumento da frequência cardíaca, algumas vezes acompanhada de murmúrios, ou seja, o sopro sistólico; aumento da frequência respiratória; e depressão.

A anemia hemolítica aguda quando acomete os animais, ainda pode ocorrer icterícia, hemoglobinemia, hemoglobinúria e febre. Quando ocorre a perda crônica de sangue, o organismo consegue manter a homeostase circulatória e em alguns casos, mesmo com menos de 50% da hemoglobina normal, o animal pode não apresentar sinais clínicos.

A anemia é classificada como relativa ou absoluta. A anemia relativa pode se desenvolver pela expansão do volume plasmático. Já a anemia absoluta merece ampla investigação, é a forma mais comum, sendo classificada de acordo com a morfologia dos eritrócitos, mecanismos patogênicos e resposta eritróide da medula óssea.

Na medicina veterinária é comum nestes casos avaliar o hemograma visando à classificação da anemia morfologicamente com base no volume corpuscular médio (VCM) e na concentração de hemoglobina corpuscular média (CHCM).

 

Fonte: http://www.ufrgs.br/lacvet/livros/Analises_Clinicas_Vet.pdf

 

Curso de Cirurgias de Urgência em Pequenos Animais

Curso de Interpretação Radiográfica em Pequenos Animais

Áreas

Artigos

Clínica Médica

Destaques

Notícias

Pequenos Animais

Para você que quer ser um expert em Cardiologia Veterinária: Este é o caminho do sucesso!
Deixe seu comentário:

Comentários

Esta publicação não possui comentários.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo Veterinário gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2018 Revista Veterinária. Todos os Direitos Reservados.