Aumente seu conhecimento no mundo Veterinário

Junte-se a milhares de apaixonados por animais. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Avaliação do embrião na TE em equinos

A avaliação do embrião na TE em equinos é subjetiva e simples, por isso não é necessário equipamentos sofisticados.

O rastreamento dos embriões é feito com auxílio de um microscópio estereoscópico, ou seja, a lupa que oferece um aumento de 10X, já a classificação embrionária é realizada utilizando-se aumento de 40X. A placa de petri deve estar antecipadamente riscada na sua parte inferior para facilitar a localização do embrião.

Quando o embrião é localizado, ele é removido por aspiração com o auxílio da palheta (0,5 ou 0,25 mL) que é acoplada a seringa de insulina, posteriormente é transferido para uma placa de petri menor (35 x 10 mm), contendo o meio de manutenção.

A classificação do embrião deve ser feita de acordo com os parâmetros de estágio de desenvolvimento e qualidade, conforme recomendações da International Embryo Transfer Society (IETS, 1988). A avaliação da qualidade embrionária deve levar em consideração a morfologia relacionando-a a viabilidade. Em nota de 1 a 5, avalia-se o embrião quanto ao formato, simetria, coloração, extrusão celular e integridade de zona pelúcida.

Fonte: ACTA Veterinária Brasilica

Introdução a equideocultura, anatomia e fisiologia da reprodução de equinos. Clique aqui.

Técnicas de congelamento do sêmen de garanhões. Veja aqui.

Destaques

Deixe seu comentário:

Comentários

Esta publicação não possui comentários.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo Veterinário gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2018 Revista Veterinária. Todos os Direitos Reservados.