Aumente seu conhecimento no mundo Veterinário

Junte-se a milhares de apaixonados por animais. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Atenção: Fármacos contraindicados para gatos

Apesar de todas as informações e alertas disponíveis, é bastante comum verificarmos donos de gatos administrarem, sem nenhuma orientação médica, medicamentos para seus animais.

Motivados pela vontade de resolver o problema, ou mesmo devido à impossibilidade de levar o paciente a um médico veterinário, o proprietário acaba cometendo um grande equívoco. Desta maneira, tal ação pode gerar consequências graves.

Ao ingerir o medicamento o animal terá reações variadas por conta da rejeição de seu organismo, além de demorar muito tempo para eliminar as substâncias, causando uma intoxicação.

Sendo assim, alguns medicamentos, muito comuns no uso humano, podem ser bastante nocivos aos felinos, como por exemplo, o Paracetamol.

O analgésico e antitérmico nos gatos, em doses específicas, pode trazer uma oxidação da hemoglobina, insuficiência hepática, dentre outros, com o animal apresentando vômitos, língua e mucosas roxeadas.

Outro exemplo é o Ibuprofeno. O anti-inflamatório, antitérmico ou analgésico de uso humano, nestes animais, pode comprometer o intestino, causando hemorragias e gastrites graves, além de mudanças no sistema nervoso.  

E por fim, o ácido acetilsalicílico, conhecido como aspirina, nos gatos pode causar insuficiência hepática, dentre outros problemas.

Estes são apenas alguns exemplos, sendo que há uma lista extensa de medicamentos nocivos e contraindicados a estes animais.  

Caso o proprietário venha a administrar algum destes fármacos, sobretudo em dosagens maiores, jamais é recomendado que ele mesmo tente reverter o problema, forçando por exemplo o vômito do animal. 

Levar o felino imediatamente a um médico veterinário é o caminho mais seguro e sensato, e irá garantir a vida do seu bichinho de estimação.

Tais situações são muito recorrentes, por isso o profissional que prestar o socorro deve estar preparado, com amplo conhecimento prático e teórico de todas as técnicas e procedimentos que podem ser aplicados para a estabilização do paciente em situação clínica emergencial.

E você médico veterinário está apto para atuar em situações emergências como essas?

Um atendimento rápido e eficiente pode evitar determinadas reações e morte do animal.

Então não perca tempo! Capacite-se no assunto e mostre seu diferencial.Confira.

Fonte: Equipe Revista Veterinária

Áreas

Artigos

Clínica Médica

Curiosidades

Cursos

Destaques

Notícias

Pequenos Animais

Para você que quer ser um expert em Cardiologia Veterinária: Este é o caminho do sucesso!
Deixe seu comentário:

Comentários

Esta publicação não possui comentários.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo Veterinário gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2017 Revista Veterinária. Todos os Direitos Reservados.