Aumente seu conhecimento no mundo Veterinário

Junte-se a milhares de apaixonados por animais. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Conheça a Cardiomiopatia Dilatada em Cães

As doenças do coração são bastante comuns também em cães, principalmente os idosos, sendo um dos principais motivos de atendimentos em clínicas veterinárias.

A Cardiomiopatia Dilatada, quase sempre de origem congênita e hereditária, é caracterizada pelo enfraquecimento de um dos músculos cardíacos, que passa a deixar de cumprir sua função normalmente, ou seja, o bombeamento do sangue.

Os sinais mais comuns apresentados pelos animais portadores da enfermidade são a arritmia, cansaço excessivo, tosses, distensão das veias do pescoço, apatia e desmaios. 

O diagnóstico pode ser realizado por vários exames, sendo um deles por estetoscópio ou tomada de pulso para detectar um batimento cardíaco, sopro no coração ou ruídos nos pulmões, por conta da retenção de líquido. Isso, somado aos testes de laboratórios e exames como ecocardiograma e ultrassonografia.

Diante disso o tratamento consiste na tentativa de sublimar os sinais e tentar prolongar a vida do animal, geralmente, por medicamentos específicos.

Garanta já seus equipamentos e tenha um diagnóstico rápido e preciso, para o bem estar do animal. Confira

Fonte: Renalvet

Áreas

Clínica Médica

Notícias

Parceiros

Pequenos Animais

Para você que quer ser um expert em Cardiologia Veterinária: Este é o caminho do sucesso!
Deixe seu comentário:

Comentários

Esta publicação não possui comentários.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo Veterinário gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2018 Revista Veterinária. Todos os Direitos Reservados.