Aumente seu conhecimento no mundo Veterinário

Junte-se a milhares de apaixonados por animais. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Seu cão foi picado por abelhas?

Os cães muitas vezes estão sujeitos a passarem por situações inesperadas, como por exemplo, serem picados por abelhas.

Em ambientes rurais, principalmente em épocas de temperaturas mais elevadas, esta é uma situação bastante comum devido ao fato do animal ser curioso e estar sempre se movimentando e cheirando lugares e objetos.

Sendo assim, se o animal for picado, o proprietário deve tomar a primeira e mais importante atitude emergencial: levar o animal a um profissional da medicina veterinária. Ao ser atendido, o paciente receberá a medicação correta, sendo, portanto desaconselháveis soluções caseiras mais complexas.

No entanto, o proprietário pode, no máximo, retirar cuidadosamente o ferrão, geralmente no focinho (local mais recorrente das picadas). Todo o cuidado é essencial para que o mesmo não se afunde ainda mais e espalhe o veneno.  É aconselhável aplicar gelo no local como forma de abrandar a dor.

Os cães, ao serem picados, o que muitas vezes ocorre sem o conhecimento do proprietário, apresentam geralmente sintomas como fraqueza, respiração ofegante, tremores, vômitos, inchaços na região atingida. Isso ocorre em virtude da reação do organismo ao veneno da abelha, ou vespa, ou outro inseto.

Se a picada for na língua ou outra região, como boca ou barriga, os sintomas podem ser piores, como inflamações e inchaços maiores, principalmente se o animal for alérgico ao veneno. Neste caso ele sofre o risco de ter um choque anafilático, o que é algo muito mais grave e que pode levá-lo ao óbito.

Ao ser atendido, o cão terá que tomar diferentes tipos de fármacos, como anti-histamínico, para tentar minimizar os efeitos do ferrão, dentre outros.

Já a dica de prevenção é tentar observar, sempre que possível, a presença destas abelhas. Caso elas de fato ofereçam riscos, é importante viabilizar a retirada das mesmas, de preferência por meio de um profissional especializado na área da apicultura.

Casos como este são recorrentes pelo simples fato dos cães serem animais curiosos, você não concorda?

Diante disso é cada vez mais essencial que os profissionais das clínicas e hospitais veterinários estejam aptos a atuarem em situações emergenciais.

E você, médico veterinário está apto para essas situações?

Pensando no fato de que o conhecimento é sempre essencial, trouxemos algumas dicas para você se destacar. Confira.

Fonte: Clube para Cachorros

Áreas

Clínica Médica

Curiosidades

Cursos

Destaques

Notícias

Parceiros

Pequenos Animais

ULTRASSOM VETERINÁRIO: 10 Técnicas de Diagnóstico em Pequenos Animais
Deixe seu comentário:

Comentários

Esta publicação não possui comentários.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo Veterinário gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2017 Revista Veterinária. Todos os Direitos Reservados.