Aumente seu conhecimento no mundo Veterinário

Junte-se a milhares de apaixonados por animais. Receba gratuitamente nossas dicas para o seu sucesso.



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.

Atenção! O perigo do cigarro para os animais de estimação

Respirar a fumaça do cigarro faz muito mal à saúde de quem está por perto, isso muita gente sabe. Mas poucos ainda não têm o conhecimento que os animais de estimação que fumam passivamente, também podem adoecer pelos malefícios dessa fumaça.

Os animais de estimação mais afetados são os considerados de companhia. Pois, ficam mais próximos aos tutores fumantes e consequentemente acabam inalando mais as toxinas do tabaco.

Grande parte das vezes, as complicações nos pets são silenciosas. No início nada será notado pelos tutores, porém com passar do tempo diversos sinais clínicos podem ser notados. Aliás, é sobre eles que trataremos em seguida.

Consequências do cigarro para animais de estimação

Por muitas vezes a manifestação do problema é sem alarmes, você deve ficar atento aos primeiros sinais da influência da fumaça na vida dos pets. Como por exemplo:

- Espirros;

- Coceira;

- Falta de apetite;

- Lesões na pele;

- Corrimento ocular;

- Dificuldade para respirar;

- Bronquite alérgica e dermatológica.

E não é só isso, alguns veterinários vão além e afirmam que o contato com o tabaco pode até causar câncer na boca, nariz, pulmão e mama. Da mesma forma que o ocorre nos humanos, a consequência mais séria da inalação da fumaça nos animais de estimação é o óbito.

É importante lembrar que não apresentar sinais não significa que o pet está bem. Por isso, animais de estimação que têm tutores fumantes precisam realizar regularmente um bom check-up para avaliação de sua saúde. 

Prevenção

As consequências da inalação de fumaça de cigarro para os animais de estimação são muitas. Assim, a melhor maneira de prevenção é evitar que os pets a inalem. Você também pode utilizar um purificador de ar que ajuda a eliminar o excesso de toxinas que são liberadas no ar pelo fumo.

Caso queira tocar no pet depois de fumar é necessário lavar as mãos e os cabelos. Outra medida essencial a ser tomada é limpar os cinzeiros e colocar os resíduos em sacos bem fechados para que os animais de estimação não tenham acesso.

Além disso, consultas regulares com o médico veterinário ajudam na prevenção desse e outros tipos de problemas de saúde.

Agora que você já viu os principais sinais apresentados pela inalação da fumaça do cigarro pelos pets, tenho uma pergunta:

Você, médico veterinário está preparado para intervir da melhor forma nesses casos?

Estar preparado para essas e outras emergências pode ser determinante na preservação da integridade do paciente.

Veja essa dica que vai te ajudar a salvar muitas vidas:

Curso de Emergências e Pronto Atendimento em Pequenos Animais

 Fonte: Centro Veterinário Pacaembu

Adaptação: Revista Veterinária

Áreas

Cursos

Destaques

Notícias

Parceiros

Pequenos Animais

Para você que quer ser um expert em Cardiologia Veterinária: Este é o caminho do sucesso!
Deixe seu comentário:

Comentários

  • clara ferreira da silvia - 16:24:42 26/09/2017

    obrigado ajudou muito no meu trabalho de ciencias

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado.

Cadastre-se e receba conteúdos exclusivos para se destacar no mercado
(Campos com * são obrigatórios)

Conecte-se ao mundo Veterinário gratuitamente!



Prometemos não utilizar suas informações de contato para enviar qualquer tipo de SPAM.
Sites relacionados
Revista Agropecuária Revista Veterinária Portal Suínos e Aves Tecnologia e Florestas
© 2018 Revista Veterinária. Todos os Direitos Reservados.