A eficiência da acupuntura no tratamento de cães

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A acupuntura tem sido utilizada para o tratamento de distúrbios neurológicos em cães. No entanto, a eutanásia normalmente é indicada em casos de distúrbios neurológicos, uma vez que há consequente paralisia de membros posteriores, em decorrência de cinomose – uma virose de grande letalidade que ataca cães jovens – afetando os órgãos respiratórios, com febre e secreções purulentas e também o sistema nervoso.

Em uma pesquisa acadêmica, 52 cães acometidos de paralisia de membros posteriores e consequente paralisia de membros posteriores, causadas pela cinomose, foram divididos aleatoriamente em três grupos, após uma avaliação neurológica completa.

Desse total, 17 cães foram tratados convencionalmente com antibióticos, complexos vitamínicos e corticosteróides, quando necessário. Outros 18 cães foram tratados com acupuntura, sem nenhuma estimulação elétrica, e 17 cães não receberam tratamento algum.

O tratamento com acupuntura foi realizado semanalmente durante o período de quatro semanas. Após o período, um novo exame neurológico foi realizado e, por meio de controle, comparado ao exame inicial, para análise estatística do efeito dos tratamentos nos diferentes grupos.

Nesse teste, era considerada cura quando os animais eram capazes de andar novamente e de ter uma vida normal, sem apresentar sequelas, como incontinência fecal ou urinária e outras. A cura foi observada em nove cães tratados com acupuntura e todos os animais submetidos ao processo sobreviveram. Nos cães tratados convencionalmente apenas um apresentou cura e em nenhum cão não tratado.

Além disso, três cães tratados convencionalmente e cinco cães não tratados apresentaram óbito no período de avaliação. O resultado demonstra que o tratamento com acupuntura pode ser positivo para o tratamento em cães de distúrbios neurológicos produzidos pela cinomose.

Além disso, o efeito da acupuntura e moxabustão na resposta de imunização à ação inflamatória da picada do carrapato Rhipicephalus sanguineus foi estudada em cães e cobaios. O uso de moxabustão prolongou a reação de hipersensibilidade tardia e reduziu o número de eosinófilos, nos locais de teste de hipersensibilidade cutânea, quando comparado a cobaios que não receberam o tratamento.

Nesse teste, quando comparada a animais não tratados, a acupuntura reduziu o tamanho da reação imediata induzida pelo teste de hipersensibilidade a antígenos de carrapatos nos cães, o que revel que a moxabustão e a acupuntura interferem nas reações de hipersensibilidade.

Fonte: Bicho Online

Adaptação: Revista Veterinária

 

Conheça o Curso de Neurologia Clínica em Pequenos Animais

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 2 de julho de 2012

Artigos Relacionados com Pequenos Animais: