Cinesioterapia: Técnica de fisioterapia animal

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A cinesioterapia, tendo origem no termo cinésio que significa exercício, logo, terapia através do exercício. Esta técnica deve ser realizada por um Médico Veterinário ou por outra pessoa, como o proprietário do animal, com a indicação e instrução do profissional, para que seja realizada corretamente e não traga prejuízos à recuperação do animal por um esforço excessivo.

Esse tratamento engloba o alongamento, fortalecimento, reprogramação, mobilização e estabilização dos músculos, com o objetivo de prevenir as principais afecções possíveis em um pós-operatório de uma cirurgia ortopédica.

Ao alongarmos um músculo, estamos fortalecendo-o e a seu antagonista, desta forma é dada a informação para reprogramar (reorganização biológica e metabólica) e então mobilizar a estrutura para estabilizá-la numa nova função ou posição.

Os exercícios feitos por essa técnica de fisioterapia animal podem ser classificados em duas formas: movimentação passiva (PROM – Passive Range of Motion) e movimentação ativa (AROM – Active Range of Motion).

Os exercícios passivos consistem na flexão e extensão suave das extremidades, sendo geralmente empregada na terra, mas também tem grande eficácia quando aplicada em meio aquático, sofrendo uma leve pressão da água e consequente relaxamento dos músculos, uma vez que o animal deve estar em repouso e não provocar nenhum movimento por conta própria. A utilização de um goniômetro pode auxiliar o profissional na medição da amplitude dos movimentos para posteriormente ser comparado aos do membro não afetado. Essa técnica é indicada para aumentar e melhorar respectivamente a amplitude articular (evitando retração da cápsula articular) e mobilidade, promovendo uma drenagem linfática e venosa no membro.

Os exercícios ativos consistem na movimentação ativa, promovendo a contração e extensão dos músculos e articulações realizados pelo próprio animal, aumentando a força muscular, a coordenação motora e a função do membro.

Para qualquer tipo de exercício, deve ser feito um alongamento no animal para diminuir a tensão dos músculos, mesmo em fisioterapias por movimentação passiva. No alongamento passivo o veterinário aplica uma força externa e controla a direção e duração do alongamento, enquanto que no alongamento estático os músculos e tecidos conectivos são alongados de forma estática. O alongamento possui na maioria dos casos pontos muito positivos, porém, como qualquer procedimento, tem algumas contraindicações, como: após fratura recente, quando houver processo inflamatório agudo dentro ou próximo à articulação, quando houver dor aguda com a movimentação, se estiver apresentando hematoma.

Fonte: Tratado de Técnica Cirúrgica Veterinária

Adaptação: Revista Veterinária

 

 

 

Conheça o Curso de Cirurgias Ortopédicas em Pequenos Animais

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  


Atualizado em: 23 de abril de 2012

Artigos Relacionados com Pequenos Animais: