Saiba como melhorar seu rebanho de ovinos

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A viabilidade econômica da ovinocultura está diretamente relacionada à eficiência zootécnica do rebanho. Alcançar excelentes índices em aspectos como eficiência reprodutiva, resistência à verminose, altos níveis de ganho de peso, precocidade sexual, entre outros, é o que faz a diferença entre o sucesso ou o fracasso do ovinocultor.

O melhoramento genético contribui para o aumento de índices de produção do rebanho. Para iniciar a técnica é preciso que o produtor submeta os animais a um processo de  seleção, onde serão escolhidos os mais jovens que serão incorporados aos rebanhos de produção. Deve-se ainda fazer uma revisão anual para eliminar os animais que apresentarem problemas que possam afetar seu desempenho reprodutivo.

Esse descarte deve ser feito para evitar criar e alimentar por muito tempo animais pouco eficientes. Os principais motivos que levam ao descarte estão ligados a defeitos corporais como prognatismo, defeitos testiculares, do úbere ou das patas, defeitos de lã como presença de fibras medulares ou pigmentadas, veios fora da finura e de cor amarela, idade, através do desgaste dentário ou estado corporal. Além disso, se o objetivo é melhorar a qualidade do rebanho, é importante introduzir machos geneticamente superiores nos rebanhos.

Embora o melhoramento genético do plantel exerça um forte impacto nos índices reprodutivos do rebanho, um bom sistema de produção não é suficiente para otimizar a atividade se os animais não possuírem qualidade genética.

Em vista disso, a implantação de um programa de melhoramento genético nos plantéis elite e, principalmente, nos comerciais, é imprescindível. Há uma crença disseminada entre os ovinocultores de que somente em rebanhos elites é necessário investir em melhoramento genético. Na verdade, a ovinocultura comercial é a que mais depende disso para sobreviver. É na hora da venda de cordeiros para o frigorífico que 1 ou 2 Kg de peso a mais na carcaça, ou 5 a 10 % de cordeiros a mais para a venda fazem a diferença.

É importante ressaltar que um rebanho melhorado geneticamente não se faz de uma hora para outra. Portanto, o quanto antes o criador começar a selecionar e melhorar o seu plantel, mais cedo alcançará a produtividade desejada.

Saber como identificar os melhores animais, dominar esta metodologia, e conhecer as ferramentas disponíveis no mercado para implantar um programa de melhoramento genético no plantel, com certeza, diferencia os criadores e profissionais que atuam na ovinocultura em busca de resultados.

 

Fonte: CPT Cursos Presenciais

 

Conheça o Curso de Melhoramento Genético em Ovinos

 

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  


Atualizado em: 11 de agosto de 2011