Controle da anemia infecciosa equina no pantanal

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A anemia infecciosa equina (AIE), conhecida mundialmente como febre-do-pântano, é considerada uma das principais doenças que atacam equídeos na região pantaneira e, há muito tempo, é motivo de prejuízos para o produtor rural

No Prosa Rural desta semana, o pesquisador da Embrapa Pantanal (Corumbá/MS), Roberto Aguilar, fala sobre a doença e o Programa de Prevenção e Controle da Anemia.

 Entre 1990 e 1995, a Embrapa Pantanal conduziu pesquisas sobre a AIE, que envolveram 28 fazendas e 3.285 equinos. Estudos permitiram a definição das épocas de maior risco de transmissão do vírus, entre outros resultados. Essas pesquisas deram origem ao Programa de Prevenção e Controle da AIE adequado à realidade do Pantanal.

 O programa baseia-se no diagnóstico inicial e monitoramento periódico dos animais da propriedade, separação e manejo adequado de animais positivos e negativos e obtenção de potros negativos a partir de fêmeas positivas. A validação dessa tecnologia foi realizada com sucesso em propriedades da região. Em uma propriedade rural, 42,7% da prevalência da doença foi reduzida a zero em três anos.

 O Prosa Rural desta semana também conta com a participação de Mercy Roberto Vilela, criador de cavalos em Corumbá, no Mato Grosso do Sul. Ele tem uma tropa com 130 cavalos e fala sobre o trabalho realizado na sua propriedade para o controle da anemia infecciona equina.

 Saiba mais sobre este assunto ouvindo o Prosa Rural, programa de rádio da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária – Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O programa conta com o apoio do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

 

Fonte: Portal do Agronegócio

 

Conheça o Curso de Primeiros Socorros em Equinos

 

 

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  


Atualizado em: 27 de maio de 2011

Artigos Relacionados com Equinos: