Dermatologia em pequenos animais

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

dermat pequenosOs problemas dermatológicos atingem quatro de cada dez animais atendidos na rotina de uma clínica, também muitos donos não sabem que os animais estão com algum problema e os animais acabam sofrendo as consequências. O diagnóstico rápido e a escolha de tratamento eficiente ajudam o animal e o dono a superar o incômodo.

Os problemas dermatológicos estão associados com a queda de pelo e as principais moléstias são a dermatite alérgica, a dermatite parasitaria (sarna), a micose superficial e a piodermatite.

Dentre as alergias, a alergia a picada de pulgas é a mais frequente, a procriação do inseto é favorecida pelas condições climáticas. Existem várias maneiras de controlar a alergia, desde “anticoncepcionais para pulgas”, dados ao cão e ao gato por via oral, até inseticidas com ação residual. A segunda mais comum é a atopia, alergia contraída por inalantes (ácaros, bolores e pólen) e é diagnosticada por exame de sangue específico. Em terceiro lugar esta a alergia alimentar, sendo os alimentos de origem proteica (carne bovina e frango) os principais envolvidos.

As sarnas existem dois tipos, a escabiose e a sarna negra (domodécica). A escabiose é transmissível a outros animais e ao homem, já a sarna negra é transmitida apenas da mãe para os filhotes nas primeiras horas de vida, causa lesões graves e não existe cura, ela pode ser apenas amenizada.

As micoses superficiais são mais frequentes em cães e gatos jovens, a transmissão se dá através do contato com a terra; pentes, toalhas, tapetes, entre outros contaminados e em contato com outros animais. Também podem ser transmitidas ao homem.

As infecções bacterianas da pele, piodermites, podem aparecer como consequência de outras doenças de pele. Por assumirem aspectos diversos geralmente são confundidas com micoses ou alergias, devem ser tratadas e investigadas as causas, evitando a rescendência.

Os problemas hormonais como diabetes mellitus, hipotireoidismo (diminuição da atividade das glândulas tireoides) e hiperadrenocorticismo (aumento da atividade das glândulas adrenais), podem levar a piodermites crônicas e recidivantes (que melhoram e depois reaparecem), além de causar queda do pelame e alteração na cor da pele e do pelo, podendo ainda estar acompanhadas de obesidade.

Então para evitar que os animais tenham doenças relacionadas à pele previna-as com escovação diária do pelo e banho (semanal, quinzenal ou mensal).

Fontes: CPT Cursos Presencias e Web Animal

Adaptação: Revista Veterinária

Conheça o Curso de Dermatologia em Pequenos Animais

Dermatologia em pequenos animais

 

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  


Atualizado em: 2 de abril de 2013