Donos de Pets devem corrigir problemas de comportamento do animal

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Quantas vezes seu cão ou gato apresentou comportamentos incompreensíveis? Para descobrir a razão destas atitudes inesperadas, existem profissionais que podem orientar os proprietários a corrigir problemas de comportamento e enriquecer a interação com os pets.

 Alguns comportamentos – como latir ou miar, arranhar e cavar – são naturais nos animais, mas quando estes hábitos ocorrem de maneira inadequada, com grande freqüência ou em momentos e horários inoportunos, se tornam verdadeiros problemas. “Adequar os hábitos naturais de nossos amigos com as regras sociais de convivência humana, mantendo uma vida saudável para eles, é a grande preocupação para quem quer desfrutar da companhia de um animal de estimação”, explicou a médica veterinária Ivana Carvalho.

 Segundo a veterinária, são os proprietários que, inconscientemente, estimulam alterações comportamentais nos seus próprios animais. “Mimos excessivos na hora errada e latidos seguidos de guloseimas são grandes estímulos para desencadear comportamentos inadequados. Com o passar do tempo, estes comportamentos tornam-se obsessivos, muito freqüentes, incontroláveis, destrutivos e passam a ser considerados distúrbios de comportamento, exigindo algumas vezes até tratamento medicamentoso por parte dos veterinários”, ressaltou Carvalho.

 Uma solução para este problema é a re-socialização e do uso de técnicas adequadas de condicionamento comportamental associado a produtos que inibem a ação mecânica dos animais. “Hoje contamos com produtos de alta tecnologia, como cápsulas vinilicas de proteção de unhas que impedem a ação destrutiva dos animais sobre superfícies de móveis, cortinas e estofados, e impedem as arranhaduras em pessoas, permitindo que ao longo do tempo o problema possa ser solucionado”, explicou a médica veterinária.

 Os especialistas analisam o comportamento do animal e o ambiente em que são mantidos, sugerindo soluções de enriquecimento ambiental com brinquedos e o fornecimento de petiscos que estimulam algumas atividades e recompensam os pets quando eles estão dentro dos limites adequados.

 Para Ivana Carvalho, o mais importante é tornar os proprietários mais conscientes e responsáveis pela saúde física, comportamental e mental de animais. “A premissa é velha: Quem ama educa. Extrapole isso para seu companheiro, seja ele um cão ou gato ou de outra espécie e veja como o relacionamento de vocês irá melhorar”, finalizou a médica veterinária.

 

Fonte: Portal Anfalpet

 

Conheça o Curso de Anestesia em Pequenos Animais


 

 

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  


Atualizado em: 26 de maio de 2011

Artigos Relacionados com Pequenos Animais: