Ministério Público investiga contágio com brucelose

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Ministério Público está a investigar um caso zoonose na aldeia Arcos, concelho de Tabuaço. Há mais de dois anos que um rebanho de ovelhas, em que foi detectada brucelose, se passeia pela aldeia e dois moradores já apresentam sintomas suspeitos de doença. Num dos casos o exame forense detectou mesmo “uma relação de causalidade entre as lesões e a presença do rebanho”. Mas, até agora, nada foi feito pelas autoridades para isolar os animais, como obriga a lei. São duas as famílias que, desde 2008, vivem com cerca de 400 ovelhas à porta de casa. O mau cheiro, os dejectos e a propagação de insectos impede-as muitas vezes de sair. “O pastor teima em deixar os animais em terrenos contíguos às habitações”, contou ao DN Afonso Costa, um dos moradores. A Divisão Veterinária do Douro Sul reconheceu as “suspeitas de que o pastor não apresenta todos os animais a saneamento”. Mas desde então “não foi feito mais nada”, garante Afonso Costa. A situação agravou-se com as queixas dos moradores que se lamentam de problemas de saúde devido à presença do rebanho, sobretudo alergias, pruridos generalizados e problemas respiratórios.

Conheça o Curso de Primeiros Socorros em Ovinos

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  


Atualizado em: 17 de junho de 2011