O perigo das plantas tóxicas para os gatos

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os donos de gatos criados em locais com determinados tipos de plantas devem ficar sempre atentos. Isso por que é cada vez mais comum os atendimentos de urgência em clínicas veterinárias relacionados a intoxicação por plantas venenosas.

Ao se deparar com tal situação, é importante que o proprietário do animal tenha a informação sobre qual tipo de planta o animal ingeriu. Isso será de grande importância durante o atendimento.

Aliás, nunca é aconselhável ao dono realizar por conta própria quaisquer procedimentos no animal, como por exemplo, induzi-lo a vomitar. Isso pode causar sérios problemas e piorar o quadro.

O profissional responsável pelo atendimento deverá estar preparado e saber sobre os efeitos causados por grande parte das plantas quando ingeridas.

Destacamos aqui algumas das plantas mais comuns e seus principais sinais para diagnóstico:

– Antúrio: esse é responsável pela irritação das mucosas, causando salivação excessiva, paralisia da língua e vômito.

– Babosa: a seiva dessa planta é o principal responsável pelas irritações da pele e mucosas do animal, e tem como sinais o vômito, diarreia, salivação e quando entra em contato com os olhos pode causar a conjuntivite.

– Comigo-ninguém-pode: famosa nos lares brasileiros essa planta é responsável por causar irritação ocular, coceira, dentre outros. Em casos mais graves o animal pode apresentar dificuldade em respirar e até mesmo alterações neurológicas.

– Copo-de-leite: também muito comum nos lares, a toxina dessa planta causa intensa salivação, coceira na face e vômitos.

– Lírio: esse quando ingerido pelo animal afeta diretamente as funções do sistema renal, sendo responsável também pelas alterações do sistema neurológico.

– Mamona: o animal contaminado pela toxina dessa planta apresenta como principais sinais as mucosas arroxeadas, fraqueza e convulsões.

Estes são apenas alguns exemplos, sendo que o número de plantas tóxicas é bem maior, o que merece uma atenção extra dos proprietários desses animais.

Dessa maneira, deve se evitar que os animais estejam expostos a essas plantas, sendo que quando diagnosticada a intoxicação os medicamentos adequados devem ser ministrados após avaliação de um profissional veterinário, a fim de garantir o bem-estar do animal.

Fonte: Portal Medicina Felina
 
Confira outras curiosidades sobre o mundo felino:

Você já ouviu falar na síndrome do gato nervoso?

Como anestesiar um gato evitando complicações?

Doenças mais comuns em gatos

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados com Clínica Médica em Pequenos Animais: