Saiba mais sobre Cólica Equina com o professor do CPT Cursos Presenciais

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Professor do CPT Cursos Presenciais,  André Lang, fala sobre a “Cólica Equina” e dá algumas dicas de como proceder com o animal.

Revista Veterinária  – O que é cólica equina?

André Lang -A cólica eqüina é uma situação de dor abdominal que pode acometer os cavalos. Apesar de ser um conceito bastante simples, pode ser causada por alterações graves que ameaçam a sobrevivência do animal.

Revista Veterinária– Por que a cólica pode ser grave?

André Lang -A cólica pode ter diversas origens. Algumas causas são banais e se resolvem com tratamentos simples, outras podem levar a graves lesões intestinais e absorção de toxinas ou até mesmo ruptura do intestino causando a morte do cavalo. O maior problema é que os sinais clínicos são semelhantes nos casos simples e nos graves.

Revista Veterinária – Como reconhecer que o cavalo está com cólica?

André Lang -Os sinais clínicos da cólica são basicamente manifestações de dor abdominal em diferentes graus de intensidade, como:

Inquietação;

Sudorese (suor intenso);

Patear o chão;

Olhar o flanco;

Alterações na postura (exemplo: esticar as patas);

Deitar;

Deitar e rolar;

Aumento na freqüência do pulso;

Aumento na freqüência respiratória;

Por vezes os sinais clínicos são muito leves e as pessoas só se dão conta quando o caso já está grave. Por isso, os cavalos devem receber atenção diária de profissionais com experiência na área.

Revista Veterinária – O que fazer quando o cavalo está com cólica?

André Lang -Ao menor sinal de cólica entre em contato com um Médico Veterinário com experiência em equinos para orientação. Alguns casos serão tratados no local, outros deverão ser encaminhados a um hospital veterinário;

Aplique apenas os medicamentos nas doses, vias e intervalos indicados pelo Médico Veterinário,

Se o cavalo estiver deitando e rolando apenas caminhe com ele pelo cabresto, evitando que ele se machuque;

A sondagem nasogástrica deverá ser realizada por profissional treinado e com material adequado;

Prepare um transporte caso o cavalo precise ser levado para um hospital veterinário;

Tenha um plano de ações para casos emergenciais.

Revista Veterinária – O que NÃO fazer quando o cavalo está com cólica?

André Lang -Não exercite o animal, pois o suor excessivo desidrata e pode agravar o quadro;

Não coloque nada no reto do animal;

Os enemas não devem ser realizados, muito menos diretamente com uma mangueira no reto do animal, pois não ajudam e podem romper o intestino do animal levando-o à morte;

As “garrafadas” com “receitas milagrosas” não devem ser realizadas, pois não ajudam e podem causar pneumonia;

Não aplique qualquer medicamento sem o consentimento do Médico Veterinário, pois alguns medicamentos podem mascarar ou agravar o quadro, principalmente antinflamatórios e diuréticos;

Não forneça alimentos;

Não bata, corte, queime ou sangre o animal. Absurdos como estes só causam mais sofrimento.

Revista Veterinária– Como prevenir as cólicas?

André Lang -Mantenha o cavalo o mais solto possível, para que possa se movimentar livremente;

Quando o cavalo não puder ficar muito tempo solto, faça exercícios regulares, dentro de um programa de condicionamento físico;

Estimule o contato saudável entre os animais;

Faça o controle de vermes conforme indicado por um Médico Veterinário;

Nunca deixe faltar água limpa à vontade;

Solicite ao Médico Veterinário o acompanhamento odontológico;

Forneça alimentação em quantidade adequada, evitando tanto a falto quanto o excesso;

Garanta a alimentação adequada de acordo com o peso e a categoria do animal;

Certifique-se da qualidade da alimentação fornecida;

Evite fornecer capins que ultrapassaram o ponto de corte, quando perdem qualidade e possuem muita fibra;

Não forneça os talos de capim, mesmo utilizando a picadeira;

Certifique-se periodicamente do afiamento das lâminas da picadeira;

Mantenha os fenos estocados em local seco e arejado;

Guarde a ração em tambores fechados, em local seco e arejado, sem contato com o chão e em local livre da presença de roedores;

Forneça o volumoso separado do concentrado, com intervalo de uma a duas horas entre eles;

Acredita-se que o concentrado sendo oferecido depois do volumoso tem melhor aproveitamento;

Aumente a frequência dos arraçoamentos para diminuir as quantidades de alimento fornecido em cada vez;

Passe a fornecer os alimentos três a quatro vezes ao dia;

Consulte sempre um Médico Veterinário de equinos;

Revista Veterinária – Mais alguma consideração?

André Lang – Não faça uso de receitas ou “remédios” milagrosos. Eles podem não ajudar em nada ou até mesmo piorar a situação.

Evite comparações. A medicação utilizada em casos anteriores pode não ser a recomendada no caso atual, pois os sinais são iguais, mas podem ter causas diferentes.

Algumas cólicas são simples e podem ser curadas sem muito trabalho e com baixo custo. Outras podem ter causas graves e o animal só terá chances de sobrevivência se o atendimento for rápido e eficiente. Só um Médico Veterinário tem conhecimento para diferenciá-las.

Fonte: CPT Cursos Presenciais

Adaptação: Revista Veterinária

 

 

Conheça o Curso de Cólica Equina

 

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  


Atualizado em: 7 de dezembro de 2012

Artigos Relacionados com Entrevistas: