Saiba mais sobre o abate humanitário de animais

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  

O abate humanitário por definição é o conjunto de procedimentos técnicos  e científicos que garantem o bem estar dos animais desde o embarque na propriedade rural até o procedimento de sangria no abatedouro – frigorífico.  O abate dos animais tem que ser feito sem sofrimento desnecessário e a sangria deve acontecer de maneira mais eficiênte possível. Alguns critérios tem que ser seguidos para a realização de um abate humanitário:

  • Os animais não devem ser tratados com crueldade;
  • Os animais não podem ser extressados desnecessariamente;
  • A sangria deve ser a mais rápida e completa possível;
  • As contusões na carcaça devem ser mínimas;
  • O método de abate deve ser higiênico, econômico e seguro para os operadores.

O transporte rodoviário, em condições desfavoráveis, pode provocar a morte dos animais ou conduzir a contusões, perda de peso e estresse dos animais .

O período de descanso ou dieta hídrica no matadouro é o tempo necessário para que os animais se recuperem totalmente das perturbações surgidas pelo deslocamento desde o local de origem até ao estabelecimento de abate.

No Brasil, os animais após o descanso regulamentar seguem comumente por uma rampa de acesso ao boxe de atordoamento dotado de portas tipo guilhotina. Nessa rampa é realizado o banho de aspersão. O atordoamento ou a insensibilização pode ser considerado a primeira operação do abate propriamente dito. Determinado pelo processo adequado, o atordoamento consiste em colocar o animal em um estado de inconsciência, que perdure até o fim da sangria, não causando sofrimento desnecessário e promovendo uma sangria tão completa quanto possível .

A sangria é realizada pela abertura sagital da barbela através da linha alba e secção da aorta anterior e veia cava anterior, no início das artérias carótidas e final das veias jugulares. O sangue é então recolhido pela canaleta de sangria.

Antes do abate, deve-se garantir que todos os animais estejam insensibilizados corretamente, para que a morte se dê enquanto estão inconscientes (anestesiados), evitando o sofrimento no momento da sangria. Devemos respeito aos animais e o mínimo que podemos garantir é que todas as práticas no manejo ocorram com o menor grau de sofrimento possível, e que na cadeia de produção haja preocupação ética, social e ambiental como um todo.

Fonte: Site WSPA

 

 

Conheçao Curso de Avaliação e Tipificação de Carcaças de Bovinos

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


Atualizado em: 30 de julho de 2012

Artigos Relacionados com Bovinos: