A importância da semiologia veterinária

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Semiologia é conhecida como “a arte do diagnóstico”, logo, abrange todos os tipos de testes e exames, iniciando pela anamnese, seguindo para exame físico e, se necessário, exames complementares.

A semiologia veterinária se faz ainda mais complexa e requer mais conhecimento e sintonia com o animal, do que com a humana, pelo simples fato do mesmo não falar onde dói ou incomoda, então para esse relatório precisa-se da ajuda do proprietário para relatar comportamento ou queixas do paciente em ações rotineiras.

A dificuldade do diagnóstico também se dá pela multiplicidade de enfermidades que condizem com os mesmos sinais clínicos, como apatia, diarreia, vômito, que podem ser desde uma modificação na alimentação até uma virose grave. Outro ponto que pode retardar o diagnóstico do animal é o comportamento do mesmo durante o exame clínico, principalmente na hora da palpação em animais agitados ou agressivos.

O primeiro passo é a observação de níveis como o de consciência e equilíbrio, formato do abdome e de características respiratórias anormais. Após um resultado que coloque o animal fora de qualquer risco direto, é verificada sua pelagem, que é uma grande chave para avaliação da saúde do animal, a qual funciona como um “espelho de todo o sistema”, pois qualquer problema sistêmico influenciará na integridade do pelo.

Outros critérios usados são:

  • Grau de estabilidade;
  • Atitudes anormais;
  • Nível de hidratação;
  • Frequência cardíaca (FC);
  • Frequência respiratória (FR);
  • Temperatura retal (Tº);
  • Avaliação de mucosas;
  • Tempo de preenchimento vascular;
  • Linfonodos.

Na avaliação de mucosas, observa-se a presença de lesões e coloração, podendo se encontrar amarelada (icterícia), vermelha (hipercorada), roxa (cianótico), pálida ou rosada, que é a colocação desejada em um animal sadio.

Já os linfonodos são palpados, principalmente em regiões: mandibular, pré-escapular, poplíteo e inguinal, observando-se tamanho, consistência e temperatura superficial.

Para realização desses procedimentos e uma avaliação completa do animal é necessário um básico “kit de semiologia” contendo um estetoscópio para auscultação pulmonar e cardíaca, um termômetro para aferição da temperatura retal do animal, um martelo ortopédico para exames neurológicos do arco reflexo simples, um plexímetro e um relógio ou cronômetro para marcar o tempo de um minuto para a contagem de FC e FR.

 

 Por: Stéfany Dias – Revista Veterinária

 

 

Conheça o Curso de Emergências e Pronto Atendimento em Pequenos Animais

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  


Atualizado em: 22 de março de 2012

Artigos Relacionados com Pequenos Animais: