A utilização da fluidoterapia veterinária em casos de desidratação canina

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A água é a substância corporal mais presente nos seres vivos. Nos animais, ela representa cerca de 60% de seu peso, podendo ser variável de acordo com a idade. Desta forma, a reposição hídrica é muito importante para a saúde plena dos pets.

Grande parte da reposição hídrica do animal é feita pela ingestão de água e comida. As perdas podem ocorrer de duas formas:

Imperceptíveis: pela respiração, aumento da temperatura corporal e suor.

Perceptíveis: através da urina e fezes.

É comum que o animal perca, cerca de 25 ml/kg de água por dia.

Quando não há uma quantidade de reposição hídrica suficiente, o canino pode sofrer com um quadro de desidratação. Esse problema requer atenção redobrada e muitos cuidados, já que em muitos casos, se não for cuidado, pode causar complicações a saúde do animal.

Causas da desidratação canina

A falta de água não é a única causa da desidratação nos pets, a exposição prolongada ao sol e a febre também fazem parte da doença. Mas, podemos destacar o vômito e a diarreia como os responsáveis principais.

A perda excessiva de líquidos gera a desidratação , que pode se agravar de forma rápida caso o animal esteja vomitando com frequência.

Sinais da desidratação

Há vários sinais que indicam a desidratação em cães. Quando o pet apresenta o grau de desidratação maior de 5% é possível notar:

– Respiração ofegante;

– Perda de apetite;

– Apatia;

– Gengivas e língua secas;

– Olhos secos ou saltados;

– Falta de elasticidade da pele.

É importante frisar que a administração de líquidos em excesso não reverte o caso de desidratação. A entrada de muitos fluidos no corpo do pet de maneira errada pode até agravar o quadro clínico.

A fluidoterapia veterinária nos casos de desidratação

Fluidoterapia veterinária é um processo muito semelhante a utilizada em seres humanos, sendo uma das técnicas mais indicadas em casos de desidratação canina.

A administração da fluidoterapia deve ser realizada somente por um profissional veterinário que esteja apto a avaliar e indicar a melhor forma de realizá-la.

O processo de tratamento através da fluidoterapia veterinária consiste na administração de soro, sendo realizado de três formas

– Oral;

– Intravenosa;

– Subcutânea.

Médico veterinário, você por acaso já precisou realizar o processo da fluidoterapia veterinária?

Não há nada que nos deixe com mais receio do que saber que a vida do paciente está em nossas mãos, não é mesmo?

Por isso, trouxemos uma dica especial para você.

Veja como se preparar para atender todo tipo de emergências em pequenos animais: Emergências e Pronto Atendimento em Pequenos Animais

Fontes: Cachorro Gato

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados com Clínica Médica em Pequenos Animais: