Anemia Hemolítica em Cães

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A anemia hemolítica é uma doença que pode atingir cães de diferentes raças e idades. A enfermidade se caracteriza pela remoção ou até destruição acelerada dos glóbulos vermelhos dos animais (hemácias). Elas são as responsáveis pelo sistema imunológico, e quando alteradas vários órgãos são acometidos.

Essa doença é uma consequência de outro problema, como por exemplo, a presença da verminose ancilostomose. Essa espécie de verme, vive no intestino e se alimenta de sangue. Nesse caso, além da anemia hemolítica o cão pode apresentar diarreia e fraqueza.

A presença de ectoparasitas no corpo do animal, como carrapatos, piolhos e pulgas, é um outro fator que podemos destacar como desencadeador da enfermidade. Tais parasitas, se alimentam de sangue e ainda são causadores de outras doenças como a babesiose.

Doenças renais, alimentação inadequada, ingestão de veneno, hemorragia interna e externa também são os responsáveis por causar a enfermidade.

Sinais da anemia hemolítica

Os principais sinais apresentados são:

– Cansaço;

– Emagrecimento;

– Palpitação;

– Febre;

– Tontura;

– Palidez (pele, membrana e gengiva);

– Alterações gastrointestinais.

Quando são percebidos qualquer um desses sinais é preciso ligar o sinal de alerta e submeter o animal a uma análise médica mais apurada.

Diagnóstico e Tratamento

A anemia hemolítica é diagnosticada através do exame de mielograma. Já o tratamento deve ser voltado para resolução da anemia e estabilização do paciente. Por vezes, a internação e principalmente a suplementação nutricional com vitaminas e fortificante se faz necessária.

Durante o tratamento, que dependendo do quadro clínico do animal pode levar semanas, é indicado que o tutor ofereça um ambiente tranquilo, ração balanceada e evite ao máximo o excesso de exercícios para o animal.

Como prevenir a anemia em cães?

Para prevenir a anemia hemolíticas em cães, os tutores devem tomar alguns cuidados, como:

– Manter a vacinação em dia;

– Deixar o animal longe de ectoparasitas;

– Fornecer ao animal uma alimentação de qualidade, que suprirá todos os nutrientes necessários;

– Evitar ao máximo acidente como quedas e brigas que podem ocasionar a perda de sangue.

Quer saber mais sobre o assunto?

Clique no link abaixo e veja como agir em situações emergenciais e no primeiro atendimento dos pets:

Como realizar o pronto atendimento em pequenos animais

Fonte: Dicas Peludas

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados com Clínica Médica em Pequenos Animais: