Como diagnosticar a Cardiomiopatia Dilatada em Cães?

  •   
  • 35
  •  
  •  
  •  
cardiomiopatia dilatada em cães

A cardiomiopatia dilatada em cães (CMD), é uma doença cardíaca crônica que acontece quando o músculo cardíaco está fino e enfraquecido, prejudicando o processo de contração.Assim,como consequência, ocorre à redução do fluxo sanguíneo pelo corpo. 

Conforme vai progredindo a contração vai se deteriorando aos poucos, e o coração do animal dilata até o seu limite. A enfermidade é mais comum do que se imagina. Aliás, incide principalmente sobre os cães de grande porte e gigantes. Ocorre principalmente quando estão com idade entre 4 a 6 anos e o número de casos em machos também é maior. 

É fundamental, que você, médico veterinário, conheça bem as características. Só assim será capaz de elaborar o diagnóstico e prognóstico correto e indicar o tratamento mais adequado para cada animal de acordo com o estágio em que a doença se encontra. Continua a leitura e descubra como diagnosticar e tratar a doença!

Raças acometidas pela cardiomiopatia em cães

É comum que algumas raças caninas sejam mais afetadas, como por exemplo:

  • Doberman;
  • Irish Wolfhound; 
  • Dog alemão; 
  • Boxer;
  • São Bernardo;
  • Afghan Hound; 
  • Old English Sheepdog. 

Apesar do maior número de casos identificados em animais de grande porte, a cardiomiopatia dilatada em cães também afeta os animais de pequeno porte. Nesta categoria é mais comum acontecer em raças como Cocker, Spaniels Americano ou Inglês.

Quais são os principais sinais?

Esta é uma doença grave e apresenta altas taxas de mortalidade em decorrência da insuficiência cardíaca sugestiva e das arritmias. Apesar de alguns animais não apresentarem sinais e morrerem repentinamente, existem algumas características que podem auxiliar no diagnóstico. Confira as principais abaixo:

  • Insuficiência do lado direito, esquerdo ou ambos os lados do coração;
  • Dificuldade respiratória;
  • Cansaço fácil;
  • Língua azulada;
  • Às vezes desmaios e em alguns casos ocorre batida irregular do coração.

Como nem sempre os exames mostram alterações significativas, é importante a realização de radiografias do tórax dos animais que apresentam suspeita de doenças cardíacas. 

Como diagnosticar a doença?

O diagnóstico é feito por meio de exames de rotina, realizado pelo Médico Veterinário. Onde pode ser percebido variações no ritmo e na frequência cardíaca.

O raio X do tórax é um bom exame para auxiliar na confirmação da doença, nele podemos ver o aumento do tamanho do coração e modificações nos vasos sanguíneos. Além disto, também pode ser verificado o acúmulo de líquido dentro e em volta dos pulmões. 

O eletrocardiograma também é um exame auxiliar, que pode  identificar ritmos anormais ou alterações no gráfico normal. 

Sobretudo, o exame principal para diagnosticar a Cardiomiopatia dilatada em cães é o Ecocardiograma, que é a Ultrassonografia do coração. Onde é possível observar a dilatação e o aumento das câmaras  do coração, causando uma redução da atividade cardíaca. Além disso, também pode-se observar anormalidades da válvula cardíaca. 

A ultrassonografia do coração com o recurso Doppler é utilizada para estabelecer a gravidade das anormalidades valvulares, baseado nas modificações do fluxo sanguíneo através do coração.

Quer aprender mais sobre Ultrassonografia Veterinária? Então clique aqui e confira!

Existe tratamento para a cardiomiopatia dilatada em cães?

Normalmente a cardiomiopatia não apresenta cura. Mas, é possível melhorar a qualidade de vida dos animais. Os médicos veterinários devem monitorar o nível de progressão da doença com frequência e indicar os medicamentos adequados para amenizar algumas reações hormonais e neurológicas que favorecem o agravamento.

Todos os cães que forem diagnosticados com a enfermidade devem ser tratados, buscando corrigir as arritmias e proporcionando:

  • Aumento da força de contração do músculo do coração;
  • Diminuição do acúmulo de sangue nos pulmões;
  • Alívio do desconforto;
  • Melhoria da qualidade de vida.

Como prevenir a cardiomiopatia dilatada nos cães?

É muito importante a realização de exames regulares nos animais com mais de cinco anos. Assim, possibilita o diagnóstico precoce e prescrição do tratamento mais adequado. Outro ponto importante é evitar que os animais que possuem históricos ou são portadores da doença se reproduzam, diminuindo a incidência de novos casos.

No caso de doenças como a cardiomiopatia dilatada em cães, é ainda mais importante que você, médico veterinário, esteja capacitado para fornecer o diagnóstico rápido, aumentando a melhoria da qualidade de vida dos cães. 

Por falar em capacitação, estão abertas as inscrições para a 16° colônia de férias do CPT Cursos Presenciais. A maior e melhor da América Latina, você contará com os melhores especialistas na área de Medicina Veterinária e Agropecuária. Com certeza, muitos cursos serão os dos seus sonhos. Clique no banner abaixo e conheça os cursos oferecidos!

Fontes: Pet Care e Renal Vet

  • 35
  •  
  •  
  •  
  •  


Atualizado em: 12 de novembro de 2019

Artigos Relacionados com Pequenos Animais: