Doença em destaque: Parafimose em cães

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A parafimose é um destaque no mundo canino! A doença é desenvolvida pelo fato do pênis do animal ficar exposto, ou seja, ele não volta para a cavidade prepucial.

Normalmente esse problema é desencadeado após a ereção, mas pode estar associado a algum traumatismo, à cópula ou até mesmo a neoplasias como, por exemplo, o TVT (tumor venéreo transmissível).

Essa enfermidade pode ser desenvolvida em etapas e para evitar complicações é ideal que o proprietário leve o animal ao veterinário assim que notar os sinais.

Causas e etapas da parafimose em cães

A exposição do pênis ocorre devido às dobras e aderências que se formam e impedem a sua retração.

A parafimose pode se desenvolver em etapas e se não for devidamente tratada pode causar sérios danos ao animal.

No início, o pênis exposto fica com a aparência normal, com o passar do tempo, a circulação local fica comprometida, e vai se formando um edema, podendo aparecer fissuras devido o ressecamento da superfície, lacerações e até mesmo miíases.

Diagnóstico e tratamento da parafimose

Profissionais da área veterinária devem estar atentos para poder diagnosticar o problema e realizar o melhor tratamento.

O diagnóstico é feito pelo exame clínico e pelo histórico do animal. Nos casos em que o pênis não está em processo de necrose, o problema pode ser resolvido clinicamente.

O animal é tranquilizado e o veterinário faz algumas manobras como aplicação de compressas frias e lubrificação do local na tentativa de voltar com o pênis para a cavidade prepucial. Em alguns casos, é feita a cirurgia para o alargamento da cavidade prepucial.

Se o animal for tratado clinicamente, com compressas e lubrificantes, o proprietário deve ser avisado que o problema pode voltar a acontecer.

Nos casos mais avançados podem acontecer gangrena e necrose do pênis, dessa forma, pode ser indicada a amputação.

E em casos nos quais os procedimentos clínicos não proporcionam sucesso no tratamento, o animal deve ser submetido a uma pequena intervenção cirúrgica de urgência.

Cirurgia de urgência na clínica de pequenos animais

A prática cirúrgica vem sendo um procedimento positivo para tratamento desse problema. Contando com o acompanhamento de profissionais qualificados no assunto, como por exemplo, o anestesista, cirurgião e o cardiologista. Todos contribuem para o sucesso dessa técnica.

Todo o processo descrito acima deve ser realizado com qualificação e profissionalismo.

As cirurgias de urgências vêm sendo cada vez mais necessárias nas clinicas e hospitais veterinários. Sendo assim a capacitação dos profissionais é mais que essencial.

Você médico veterinário saberia realizar uma pequena cirurgia de urgência ou anestesiar o animal de forma correta?

Nessas horas não se pode ter dúvidas, não é mesmo?

Por isso trouxemos uma ótima dica para você, profissional veterinário saber agir com eficiência: Cirurgia de Urgência em Pequenos Animais

Ah! Se você tem interesse em mais conteúdo na área de pequenos não perca tempo e confira: Parvovirose canina: saiba o que é e como evitar!

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados com Clínica Cirúrgica em Pequenos Animais: