Entenda a claudicação em equinos

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  

A claudicação em equinos é, sem dúvida, o maior problema vivenciado por cavalos em todo o mundo, principalmente os atletas ou que desempenham atividades físicas.

É também o principal motivo do atendimento nas clínicas veterinárias especializadas em ortopedia de grandes animais.

Trata-se de um distúrbio do aparelho locomotor, que pode ser manifestado pelo animal em diferentes maneiras. Entre elas está a manqueira, menor rendimento nas atividades físicas, queda no desempenho, apoio demasiado sob apenas um dos membros, e, principalmente, pela manifestação de dores. A claudicação causa muito incômodo, o que resulta em má qualidade de vida do animal.

Aqui vamos te apresentar os diferentes tipos de claudicação, as causas mais comuns e os principais métodos de diagnóstico. Confira!

Tipos de claudicação em equinos

A claudicação em equinos pode ser subdividida em quatro tipos, de acordo com o grau de desenvolvimento e atuação. Além disso, a claudicação varia de acordo com o tipo de atividade que o animal desenvolve. Conheça agora quais os tipos de claudicação em equinos:

  • Claudicação do membro de apoio: essa claudicação aparece quando o animal está suportando peso em uma das patas ou, quando ele apoia a pata no chão, e se evidenciam lesões em ossos, articulações, ligamentos e nervos motores;
  • Claudicação de membro de suspensão: este tipo fica evidente quando o membro está em movimento. Assim é possível observar alterações patológicas que afetam as cápsulas articulares, os músculos, os tendões ou as bainhas tendíneas;
  • Claudicação mista: esse tipo de claudicação é verificado quando o animal sofre de qualquer combinação de alteração nas estruturas afetadas. Ou seja, ela ocorrer conjuntamente em membro de suspensão ou membro de apoio;
  • Claudicação complementar: nesse caso, a dor em um dos membros causa uma distribuição desigual do peso pelos demais membros. Esses casos requerem observação para que uma nova lesão seja gerada num membro sadio.

Grande parte dos problemas ocorrem nos membros anteriores do animal, por ser estes os responsáveis pelo amortecimento dos impactos, impulsionamento durante as corridas e por suportarem mais de 60% do peso do animal.

Causas mais comuns para a claudicação

Como já ressaltamos, a claudicação em equinos é um distúrbio do sistema locomotor do animal. Assim, ela causa diversas alterações de postura e movimentação do animal. Porém, apesar se serem observados sintomas parecidos, como manqueira, dores e desconfortos, as causas da claudicação podem ser variadas.

Dessa forma, é preciso destacar que, quanto a causa, a claudicação em equinos pode ser de 3 tipos: mecânica, neurológica ou dolorosa.

Tendo isso em mente, é preciso que os tratadores e o veterinário tenham ciência de que, dentro desses grupos, motivos variados podem gerar a claudicação em equinos. Entre os mais comuns, podemos listar: traumas, anomalias congênitas, anomalias adquiridas, infecções, desordem circulatória, problemas nervosos, cravo mal empregado e desgaste por feridas.

Além desses, é possível que outras questões mais simples causem esse problema. Assim, cabe ao veterinário responsável analisar os sintomas e realizar o diagnóstico preciso.

Principais formas de diagnosticar a claudicação em equinos

O diagnóstico da claudicação precisa ser realizado sob critérios técnicos específicos e que somente um profissional especializado saberá executar com precisão. Assim, é preciso ter amplos conhecimentos sobre anatomia e fisiologia da movimentação. Tudo isso somado à capacidade de análise visual, saber realizar uma boa anamnese, além de interpretar os resultados dos aparelhos de diagnóstico por imagem.

Assim, para diagnosticar a claudicação, o veterinário segue os seguintes passos:

  • Anamnese: etapa de avaliação dos equinos e conversa com o proprietário;
  • Exame Visual: análise da movimentação do animal (caminhada, trote, corrida e caminhada em círculo);
  • Testes de Flexão: flexionar os membros e articulações para verificar possíveis focos do problema;
  • Exame Meticuloso: exame detalhado para determinação do foco de dor. São usadas técnicas avançadas, normalmente, com auxílio de anestésicos;
  • Diagnóstico por Imagem: exploração da área de foco da dor com uso de equipamentos, por exemplo, de ultrassonografia veterinária.

A claudicação em equinos é, infelizmente um mal ainda muito recorrente e que precisa ser tratado com conhecimento, atenção e experiência. Você profissional da veterinária equina já parou para pensar como o diagnóstico rápido e preciso pode proporcionar maior sucesso no tratamento? E você saberia como diagnosticar este problema com exatidão?

Não fique mais na dúvida! Confira algumas dicas clicando aqui.

Fonte: Blog Mundo Veterinário e Portal Escola do Cavalo

Claudicação em Equinos
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
banner-final-de-artigo-16-colonia

Atualizado em: 13 de janeiro de 2020

Artigos Relacionados com Equinos: