Lambedura excessiva x Dermatite em cães

  •   
  •   
  • 3
  •  
  •  
  •  
  •  

Lamber é uma atitude absolutamente normal para os cachorros. Mas, você sabia que a lambedura excessiva pode ocasionar dermatite em cães? Geralmente, as lambidas servem para sentir o gosto das coisas, explorar a presença de outros animais e para demonstrar que gostam da companhia de alguém só que alguns animais podem utilizar esse recurso exageradamente.

Quem nunca viu um cachorro perseguindo seu dono em todos os lugares sempre lambendo suas pernas e mãos ou suas próprias patas e outras partes de seu corpo? Ainda mais, alguns cães podem lamber a parede e até o chão. Por isso, o problema, que pode ser tanto físico ou experimental deve ser identificado o mais breve possível.

Como perceber a lambedura excessiva?

Alguns sinais denunciam o aparecimento do problema, dentre eles:

– Pata molhada além do normal 
– Ferimentos com falhas ou mudanças na cor do pelo
– Alterações do cheiro da pele e/ou da pata

A dermatite em cães consiste em lesões na pele que são provocadas pela lambedura excessivas do animal em determinada região, causando feridas que são difíceis de tratar.

Causas do problema

A dermatite por lambedura é causada quando o animal não recebe estímulos o suficiente. Ou seja, o cão precisa de mais atividades para que não fique entediado 
ou por algum outro problema nutricional ou hormonal. Dentre outros fatores desencadeadores da enfermidade podemos destacar:

– Tédio
– Medo
– Estresse
– Falta de atividade física
– Ansiedade de separação

Cachorro lambendo tudo, o que fazer?

Ao passar dos anos a rotina das pessoas, de uma maneira geral fica mais intensa. Por isso, os animais de estimação acabam passando a maior parte do seu tempo sozinhos e recebendo menos atenção. Assim, como os humanos os cães também procuram algo para se distraírem nesses momentos e acabam desenvolvendo o hábito de lamber uma determinada parte do corpo.

As lesões auto-induzidas, provocadas pelos próprios animai podem ser evitadas com qualquer coisa que distraia o animal. Como por exemplo, exercícios físicos, companhia humana e outros brinquedos recreativos para o pet que contribuem para amenizar sua ansiedade. 

Tratamento

Dependendo da gravidade do quadro, que deve ser diagnosticado por um médico veterinário, as lesões devem ser higienizadas com produtos anti-sépticos de 2 a 4 vezes ao dia com o auxílio do xampu terapêutico. Já em casos mais graves, o médico veterinário pode recomendar a utilização de antibióticos.

A parte principal do tratamento é impedir que o cão continue com a lambedura excessiva e evite a recontaminação das lesões. 

E você, médico veterinário, já atendeu algum cão com este problema? Nos conte como foi nos comentários. Para você que tem interesse em se especializar no atendimento de pequenos animais, dê uma olhadinha:

Cursos na área de pequenos animais: Seja EXPERT na área!

 

Fontes: Tudo sobre Cachorros e Canal do Pet

  • 3
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 27 de novembro de 2018

Artigos Relacionados com Pequenos Animais: