Parvovirose canina: saiba o que é e como evitar!

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Quem é esta tal de parvovirose canina: você já ouviu falar? Como é transmitida? Como evitar?

São perguntas que você mesmo se faz e na maioria das vezes não acha as respostas desejadas, não é mesmo?

Provavelmente você já escutou alguém comentando sobre parvo, pois então esse é o nome popular dado a parvovirose.

Essa enfermidade é causada por um vírus muito comum, responsável por afetar cães de diversas raças e idades, e é caracterizada por diarreia com sangue.

Continue com a gente e entenda mais sobre o assunto.

Como a parvovirose é transmitida?

O vírus da enfermidade pode ser transmitido por contato direto com outros cães infectados, parques e regiões com maior aglomeração de cães, fezes, brinquedos, bebedouros, mordedores, roupas e acessórios de animais contaminados ou até mesmo pode ser transportado nas patas ou no pelo dos cães, no sapato dos humanos e nas gaiolas dos animais.

Outro fato está relacionado na transmissão via intrauterina, onde uma cadela infectada pode passar o vírus para os filhotes, assim esses nascerão contaminados.

Principais sintomas

Os sinais da parvovirose são bem visíveis e deixam os animais bastante debilitados.

– Vômitos;

– Febre alta;

– Desidratação;

– Perda de apetite;

– Diarreia com sangue e odor fétido;

– Gastroenterite (inflamação das mucosas do estômago e do intestino).

Diagnóstico da parvovirose canina

O diagnóstico é feito através de exames laboratoriais, pois não é todos os casos de diarreia sanguinolenta com ou sem vômitos que são provocadas pelo parvo vírus.

Exames tradicionais de sangue para a titulação e um exame simples de fezes são essenciais para apuração dos resultados e podemos contar também com exames físicos completos e exames adicionais, como hemograma e bioquímica para ajudar a determinar a gravidade da doença.

Tratamento e prevenção

Por se tratar de uma doença viral não a medicamentos que irá atingir diretamente o agente, sendo assim o tratamento é feito com suporte e remédios de acordo com aos sinais apresentados pelo animal.

Para aliviar os sinais, a reposição de fluidos é, normalmente, a primeira medida adotada, seguida da administração de medicamentos antibióticos e antieméticos. Em alguns casos pode ser necessária a internação para o período de tratamento mais intenso, contando com uma dieta balanceada e uso de vitaminas.

Mas para alcançar a eficiência do tratamento e recuperação do animal o estado sistema imunológico irá influenciar bastante, sendo que em alguns casos os animais não resistem aos primeiros dias da pavovirose.

A prevenção está estritamente relacionada com a vacinação em dia, com os 45 dias de idade o cãozinho deve tomar a primeira dose e após isso o reforço é essencial.

O contato com animais doentes deve ser evitado e também os passeios antes da vacinação, a higienização do local onde o animal vive e o acompanhamento do veterinário.

Todo o cuidado é necessário para garantir a saúde dos pequenos principalmente nos 6 primeiros meses de vida.

Gostou do assunto e quer mais conteúdo sobre pequenos animais?

Então não deixe conferir nosso blog: Revista Veterinária

Ah! Se você já atua com pequenos animais e quer se capacitar em alguma área da medicina veterinária, não perca mais tempo. Dê uma conferida: Clínica de Pequenos Animais

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Artigos Relacionados com Clínica Cirúrgica em Pequenos Animais: