A Geriatria em Pequenos Animais

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  

Nos últimos anos, o interesse na saúde geriátrica de cães e gatos aumentou significativamente. Este interesse é justificado pelo aumento da longevidade em pequenos animais, que ocorreu devido aos avanços na medicina veterinária, bem como pelo desenvolvimento das indústrias farmacêuticas e das indústrias de fabricação de alimentos para animais. Todos estes avanços foram estimulados pela alta demanda de proprietários que desejam aumentar o tempo de vida de seus mascotes.

A definição de paciente geriátrico é bastante relativa, uma vez que há diferenças na expectativa de vida para as diferentes raças e espécies. Os cuidados com cães e gatos geriátricos, geralmente, se inicia aos 7 anos, variando conforme o porte do animal. Estes animais possuem necessidades distintas daquelas dos animais jovens, porém a maior parte do conhecimento em gerontologia veterinária foi extrapolada de informações da medicina humana ou de experimentos com animais de laboratório.

Apesar de a idade avançada trazer com ela várias doenças, o envelhecimento não pode ser considerado um processo patológico, mas sim um processo biológico composto por ampla variedade de fatores endógenos e exógenos que influenciam o ritmo e a velocidade do envelhecimento.

No envelhecimento, ocorre uma desordem da homeostenose (perda de reservas orgânicas e funcionais) e consequente maior vulnerabilidade a doenças como: infecções, doenças cardiovasculares, neoplasias malignas, dentre outras. Na veterinária, distúrbios como endocardioses, cegueira, surdez, artrose e até mesmo déficit cognitivo e alterações comportamentais são corriqueiros. As doenças neoplásicas também são de grande incidência na fase senil, embora possam aparecer em animais de qualquer idade, inúmeros estudos epidemiológicos realizados tanto na medicina humana quanto na veterinária têm demonstrado que um dos principais fatores que determinam a susceptibilidade ao câncer é a idade.

O clínico deve sempre ter em mente que complicações que afetam vários sistemas orgânicos são comuns em pacientes geriátricos, da mesma forma como várias doenças crônicas, principalmente de natureza degenerativa comumente se associam no mesmo paciente.

Prevenir doenças, oferecer maior qualidade de vida aos animais de companhia e, consequentemente, longevidade é o objetivo da geriatria. Dessa forma a importância do acompanhamento do paciente geriátrico está na prevenção, diagnóstico e tratamento precoce das doenças. Quando se estabelece um plano de tratamento em animais idosos, muitas vezes o objetivo não irá visar à cura, mas sim o controle da doença, trazendo alivio da dor e melhorando a qualidade de vida do paciente.

Por: Pillar Gomide do Valle (VALLE, P. G.).

 

 

 

 

Conheça o Curso de Realização e Interpretação dos Principais Exames Laboratoriais em Pequenos Animais!

 

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Artigos Relacionados com Pequenos Animais: