Cinomose em cães

A cinomose é uma doença contagiosa de origem viral que afeta somente os cães, entre os animais domésticos. O vírus é resistente em ambiente seco e frio, e sensível a locais quentes, a muita luz solar e a desinfetantes comuns. Não escolhe sexo ou raça, nem a época do ano para agir. Ocorre mais em jovens, mas animais idosos também podem se contaminar, se não vacinados.

Os cães se contaminam por contato direto com animais doentes ou, simplesmente, respirando um ar contaminado. As secreções do nariz e boca de animais infectados são altamente contaminadas com o vírus da cinomose e são a principal fonte de propagação da doença; o espirro do animal doente contamina o ambiente e os animais que estejam por perto. Inclusive, se tiver um ser humano, nas proximidades, o vírus pode ser carregado até um animal sadio por ele.

Após o animal ser infectado, ele pode demorar até 14 dias para começar a manifestar os sintomas da doença. Normalmente o cão apresenta febre alta, perda de apetite, corrimento ocular e nasal, semelhantes a uma forte gripe. Após alguns dias, o animal pode apresentar melhora e permanecer bem durante meses. No entanto, após um período de calmaria, os sintomas mais típicos da doença podem se manifestar. Pode haver sintomas digestivos, como diarreia e vômito, respiratórios, com corrimento nasal e ocular ou nervosos, como tiques nervosos, convulsões, paralisias, falta de equilíbrio, etc.

Como na fase nervosa ocorre uma inflamação no cérebro, os animais podem ficar agressivos e, muitas vezes, não conseguem reconhecer seu dono. Em alguns casos, pode ocorrer paralisia dos músculos da face fazendo com que o animal tenha dificuldade em abrir a boca, impossibilitando-o, inclusive, de tomar água. Pode também ocorrer apatia profunda, andar cambaleante e paralisia nos membros posteriores. Geralmente os sintomas vão piorando gradualmente.

Infelizmente, não existe remédio capaz de matar o vírus causador da cinomose. Muitos animais podem vir a óbito depois de contaminados. Alguns chegam a morrer, tendo desenvolvido somente uma das fases da doença. Outro aspecto é que o animal pode apresentar os sintomas, aos poucos, um de cada vez, ou desenvolver todos os sintomas de uma só vez.

O sucesso do tratamento, depende quase exclusivamente do cão. O veterinário pode ajudar, combatendo sintomas como infecções  que podem atrapalhar a luta do cão contra a  doença, aconselhar a alimentação correta, receitar medicamentos que ajudem a combater as inflamações no cérebro, receitar uma medicação que tente aumentar sua resistência, etc. A evolução da cinomose é imprevisível, ou seja, quando o cão adoece, não há como garantir que mesmo tratado, ele consiga sobreviver à doença.

O melhor é prevenir a cinomose. Isso é conseguido através da vacinação, com a vacina antiviral anualmente.

Autor (a): Dra. Vanessa Mollica C. Teixeira/Médica Veterinária/ Especialização em Clínica e Cirurgia – UFV/  Mestrado em Cirurgia – Unesp – Jaboticabal

Fonte:  Pet Shop Auqmia

 

 

Conheça o Curso de Emergência e Pronto Atendimento em Pequenos Animais