Fique atento à qualidade do sêmen usado na IATF

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  

Os programas de IATF podem ser influenciados por diversos fatores, como a qualidade do sêmen. Ele pode prejudicar a fertilidade do lote de fêmeas inseminadas, provocando prejuízos econômicos e baixos resultados.

Martins Júnior e colaboradores realizaram um estudo, em fazendas comerciais do Mato Grosso do Sul e Paraná, em que sincronizaram 962 vacas paridas por IATF, de sêmen de quatro diferentes touros. As doses de sêmen de cada touro foram distribuídas em doses equitativas entre as fêmeas. Todas as doses apresentavam boa qualidade, após exames feitos em laboratório especializado. Observou-se a variação de até 15,6% na taxa de prenhez à IATF, determinada pelo uso do touro 4 (61.1%) contra (45.5%) do touro 1. Esse resultado vem confirmar a existência do efeito individual de touros, nesse tipo de fertilização.

Diante disso, há que se cuidar de alguns detalhes importantes, para se evitar baixos resultados, como, dar preferência ao sêmen oriundo de centrais de sêmen, especializadas e certificadas pela ASBIA (Associação Brasileira de Inseminação Artificial); cuidar para que não haja problemas com o transporte e armazenamento do material, analisando-o, por partida, antes do procedimento, e, principalmente, utilizar o sêmen de touros com o prévio histórico de boa fertilidade, em programas de IATF.

Fonte: Beef point

Adaptação: Revista Agropecuária


Conheça o Curso de Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Bovinos (IATF Avançado)

 

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •