Luxação da patela

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  

luxação de patela

 A luxação de patela pode afetar alguns animais mais gravemente. A patela é um osso mais conhecido como rótula, uma fenda na cabeça do fêmur permite que ela deslize de cima para baixo quando a articulação se flexiona. Assim a rótula guia a ação do músculo do quadríceps na parte inferior da perna e também protege a articulação do joelho.

Quando a luxação da patela ocorre nas duas patas traseiras, a postura é totalmente modificada. Nos casos mais graves, é como se o corpo do animal caísse, e as pernas ficassem largadas no chão mesmo enquanto ele anda. Nos casos mais graves o animal não consegue usar as patas para se locomover, e passa a se mover como se fosse uma foca.

A luxação da patela pode ocorrer por causa de mal formações ou devido a traumas, a fenda da cabeça do fêmur que condiciona a patela não é bastante acentuada e a fenda através da qual a patela se move fica muito rasa e assim a patela acaba saindo do local correto, indo normalmente na direção interna da perna.

Geralmente os cães acometidos já estão na meia-idade e apresentam um histórico intermitente de dor nas pernas afetadas; o animal pára durante a caminhada e chora de dor quando corre; a perna afetada fica estendida para frente e o animal não consegue de flexioná-la de volta retornando à posição normal.

O problema deve ser corrigido, uma vez que a luxação da patela é totalmente incomoda, leva a artrite prematura, os animais ficam mancos e ficam com a rótula permanentemente inchada. O tratamento indicado é a cirurgia de correão.

 

Quais as princípios da patofisiologia de trauma ósseo e  sua cicatrização?

Quais os métodos mais usados  para diagnosticar moléstias osteo-articulares?

Como realizar as cirurgias ortopédicas básicas em cães e gatos?

 

Fonte: Dog Time

Adaptação: Revista Veterinária

 

 

 

Conheça o Curso de Cirurgias Ortopédicas em Pequenos Animais

Cirurgia Ortopédica em pequenos

  •  
  •  
  •  
  •  
  •