Microorganismos mais resistentes causam grandes problemas nos animais

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  

Microrganismos mais resistentes são o resultado do uso indiscriminado dos antimicrobianos.

Uma das bactérias isoladas, com grande incidência, nas doenças de pele dos animais, o staphylococcus aureus, presente nas feridas, mostra-se muito resistente aos antibióticos bastante conhecidos, como a Penicilina G, a Amoxicilina, a Ampicilina e a Cefalexina.

Animais que perderam a capacidade de defesa imunológica, e tratados com esses medicamentos, tornam-se pacientes crônicos, apresentando sintomas variados, como dor, febre, tremores, queda de pelos, e descamação da pele.

Passam a ser isolados, segregados e com a qualidade de vida comprometida. Seu sofrimento é tanto físico quanto psicológico.

Questiona-se a eutanásia, quando todos os tratamentos já fracassaram. É aí, então que entra o tratamento imunoterápico, que estimula as defesas do organismo através de vacinas específicas que aumentam os glóbulos brancos, e melhorando a produção de anticorpos.

As aplicações devem ser feitas semanalmente, por quatro meses.

Os resultados positivos costumam demorar um longo tempo, embora em alguns animais, possam surgir em poucas semanas.

Por: Roberto MiglianoMonteleone

Adaptação: Revista Veterinária

 

Conheça o Curso de Dermatologia em Pequenos Animais

 

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •