Parvovirose Canina

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  

Cães jovens,com menos de um ano de vida, são os mais vulneráveis à parvovirose, doença muito contagiosa, cujo agente etiológico é o vírus Parvoviriadae. Acomete os cães mais jovens em 85% dos casos.

Um programa rigoroso de imunização é o meio mais eficaz de se evitar essa doença, pois o parvovírus é muito resistente a alterações ambientais, tanto na temperatura quanto no PH.

Após a infecção inicial, os sinais clínicos se manifestam em torno de 7 a 10 dias. Eles surgem no aparelho digestivo (estômago e intestinos), provocando diarreia, frequentemente hemorrágica. A doença provoca, também, febre, até 41ºC, anorexia, sonolência e vômitos. Alguns animais apresentam secreção purulenta nos olhos e tosse.

Por serem graves os sintomas digestivos, os cuidados devem acontecer rapidamente para que não haja a desidratação do animal. A demora na intervenção pode levar o cão a óbito, em poucos dias.

A principal fonte de infecção são as fezes, por onde ocorre a transmissão da doença, devido à ingestão ou inalação de partículas virais, no contato direto com cães doentes. Pode ocorrer, igualmente, o contágio indireto, via objetos ou ambientes contaminados.

Exames laboratoriais, de sangue e fezes, e exames clínicos determinam o diagnóstico.

O tratamento é de suporte, com fluidoterapia, analgésicos, antitérmicos, antibióticos, polivitamínicos e reposição de eletrólitos, pois não existe um medicamento específico.

A vacinação é a melhor forma de se evitar o contágio. O cão deve receber a primeira dose aos 45 dias, totalizando três doses, mensalmente, com um reforço anual.

 Fonte: Portal da Educação

Adaptação: Revista Veterinária

 

 

Conheça o Curso de Emergências e Pronto Atendimento em Pequenos Animais

 

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Artigos Relacionados com Pequenos Animais: