Rastreabilidade bovina para mercado com a união europeia

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  

Para a comercialização de carne bovina no mercado europeu, será necessáro aderir o Sisbov, esse é um meio de rastreabilidade, que demorou 4 anos para ficar pronto, sendo feito pelo Conselho Técnico consultivo (CTC), instituído pelo Ministério da Agricultura e Pecuária e Abastecimento (MAPA).

Nessa plataforma do Sisbov, estarão informações de todas as propriedades rurais do Brasil, contendo número de rebanho, faixa etária e sexo dos animais, comunicação de vacinação, entre outras informações que serão interligadas da central com os Estados. Isso significa, por exemplo, que no ato de uma propriedade vender os animais em Mato Grosso com destino ao estado de Minas Gerais, essas informações estarão interligadas entre os órgãos de defesa desses dois estados. Hoje, isso não acontece.

Esse sistema é de controle online, e melhora o controle de qualidade da carne brasileira, sendo que já foi decretado pela união europeia que a carne que pra lá irá, tem que ser de animais a pasto e não confinado segundo Mendes Ribeiro.

 

 

 

Fonte: Rural Pecuária

Adaptação: Revista Veterinária

 

 

 

Curso de Administração Técnica e Econômica da Bovinocultura de Corte

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •