Uretrostomia em cães: tipos e recomendações

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  

A uretrostomia em cães é uma cirurgia realizada na uretra dos animais, e se caracteriza pela abertura de uma fístula permanente nessa estrutura. É geralmente a técnica indicada para tratar da remoção de urólitos nesse canal ou em casos de traumatismo peniano. 

Por ser uma cirurgia em uma área delicada, exige precisão e preparo do profissional que irá realizá-la. Além disso, o veterinário deve dominar as técnicas exigidas pela operação e deve, também, estar capacitado para escolher a melhor maneira de realizar esse procedimento.

Gostaria de saber mais sobre o assunto? Continue a leitura! 

O que é a uretrostomia em cães 

Uretrostomia em cães tipos e recomendações
A uretrostomia em cães é uma cirurgia realizada na uretra dos animais, e se caracteriza pela abertura de uma fístula permanente nessa estrutura.

É chamada de uretrostomia, a intervenção cirúrgica aplicada com o objetivo de drenar a urina do animal, por meio de uma fístula aberta permanentemente em sua uretra. Essa técnica possui uma grande importância na medicina veterinária, uma vez que é aplicada em animais com doenças congênitas, estreitamentos uretrais, acúmulo de minerais no canal ou em casos onde é necessária a amputação do pênis canino. É utilizada também como forma de resolver desordens no sistema urinário, principalmente a formação de cálculos.

Para que se obtenha sucesso na realização da cirurgia, além do preparo do médico veterinário responsável pelo procedimento, é necessário que o pós-operatório seja feito da maneira correta e que os tutores saibam como tratar os animais em suas casas. 

Além da capacitação para a operação, o profissional deve reconhecer as necessidades de cada paciente. Assim, após a avaliação do animal e o seu diagnóstico, cabe ao veterinário selecionar qual a técnica a ser utilizada.  

Tipos de operação 

Existem dois tipos principais de aplicação da uretrostomia em cães: a pré-escrotal e a escrotal. A diferença entre as duas operações é o local onde é feito o corte para a abertura da fístula uretral. 

É preferível que se aplique a técnica da cirurgia escrotal, devido à localização da uretra, que se encontra de maneira mais superficial nesta região. Assim, esse é o método de uretrostomia em cães mais utilizado, uma vez que apresenta menores chances de hemorragia. 

Dessa forma, a operação escrotal é definida pela abertura da fístula na área do escroto do animal, removendo essa estrutura cirurgicamente. Após esse procedimento, localiza-se o músculo retrator do pênis do animal, que deve ser deslocado, com o objetivo de expôr a uretra, proporcionando as condições para a fissura. 

Por sua vez, a cirurgia pré-escrotal é executada mediante a aplicação de uma sonda uretral, permitindo a realização de um pequeno corte na linha média ventral do canino. Também é uma técnica de uretrostomia em cães praticada com frequência. 

É comum que o animal submetido a esse procedimento apresente um quadro de hemorragia junto à micção. Caso essa situação seja observada por mais de duas semanas, pode indicar a necessidade de uma nova operação. 

Além disso, outro cuidado que o profissional deve ter é analisar o vazamento de urina, que acontece em decorrência do mau posicionamento das estruturas deslocadas para a realização da cirurgia. Essa situação pode acabar por desenvolver um quadro de necrose da pele próxima ao local operado, prejudicando a saúde dos animais. Assim, é preciso ressaltar, mais uma vez, a importância do preparo do profissional que realizará o procedimento. 

Cuidados com o pós-operatório

Uma parte importante do cuidados para que a uretrostomia em cães seja efetiva é em relação ao pós-operatório dos animais. Dessa forma, visando o bem estar dos pacientes e o sucesso da cirurgia, é necessário que o profissional que realizou o procedimento continue observando o animal e administrando os antibióticos e analgésicos prescritos. 

É preciso estar atento a algum tipo de sangramento na região da cirurgia e realizar a troca dos curativos de maneira correta. Além disso, é comum que os cães operados sejam submetidos ao uso do colar elizabetano.

Também, é imprescindível que os tutores dos animais sigam corretamente algumas orientações dadas pelo profissional, que, mais uma vez, deve estar capacitado para transmitir as informações com segurança e clareza. Os animais, sobretudo os de comportamento agitado, devem estar sob constante observação de seus tutores para que não pratiquem exercícios físicos e se mantenham em repouso, evitando, assim, possíveis hemorragias. Também, é essencial que a assepsia da região operada seja feita da maneira correta e com cuidado, com o objetivo de evitar possíveis complicações. 

É possível perceber que, assim como a uretrostomia em cães, as cirurgias realizadas no sistema urinário dos animais devem ser realizadas com muito cuidado e delicadeza. Assim, essas intervenções requerem um preparo adequado para que sejam feitas da maneira correta, garantindo a saúde e o bem estar dos animais operados e o sucesso dos procedimentos. Gostaria de se capacitar para esses e outros procedimentos? Conheça o Curso de Cirurgias em Pequenos Animais


Fonte: Consulta Dog Vet, Universidade Estadual Paulista, SIMPAC, Universidade Federal da Bahia.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


Atualizado em: 6 de abril de 2021

Artigos Relacionados com Pequenos Animais: