Vermifugação na seca

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  

O fator produtivo do rebanho depende muito dos cuidados dispensados à vermifugação do gado de corte. O impacto pode ser sentido através da redução do ganho de peso, principalmente em algumas categorias como os animais jovens, até os dois anos de idade, e as fêmeas, no periparto.

A idade e a raça, a condição fisiológica, a contaminação ambiental e o tipo de manejo irão determinar os prejuízos, por isso é necessário que se cuide muito bem de todos esses itens, para o melhor resultado na criação. Livre da infestação de vermes, certamente, o rebanho será mais saudável e trará maiores lucros ao criador.

Animais infestados de parasitas vão apresentar sintomas como anorexia e aparecimento de doenças oportunistas. Isso porque esses vermes que se alojam, principalmente, nos intestinos dos animais “sequestram” os nutrientes essenciais para seu desenvolvimento ideal.

A ausência de proteína na dieta diminui a capacidade de resposta imunológica contra os parasitas, acarreta maior infestação animal e consequente aumento da contaminação dos pastos. Fator relevante em animais criados a pasto, já que a maioria das pastagens tropicais apresentam deficiências.

O parasitismo é considerado passível de controle e de redução de prejuízos econômicos, desde que se observem as formas de ser combatido, e se tomem as providências necessárias na prevenção desse mal. A presença dos parasitas nas pastagens é favorecida pelas condições climáticas. Épocas do ano,com maior umidade, favorecem a persistência dos ovos e larvas no meio ambiente.

Ao se estabelecer a estratégia de controle, deve-se levar em conta a sazonalidade e as categorias que favorecem o parasitismo.

Os animais jovens são mais sensíveis. O período da desmama é um momento crítico, pois acarreta em redução da imunidade decorrente do estresse sofrido. Apesar de não haver riscos de óbitos, uma vermifugação, nesse momento, reduzirá a contaminação da pastagem. Esses mesmos cuidados deverão ser dispensadosàs vacas parturientes, no terço final de gestação, período em que, normalmente, ocorre a natural diminuição da resposta imunológica.

A vermifugação estratégica, neste momento, além de reduzir a contaminação das pastagens, ajudará no aumento do índice de escore corporal das fêmeas e, consequentemente, na minimização dos riscos de problemas durante o parto, além de estimular a produção de um colostro de melhor qualidade, ediminuir a infestação dos bezerros.

Animais destinados à terminação em pasto ou em confinamento apresentarão melhor desempenho na conversão alimentar quando desparasitados previamente, embora possam se reinfestar, ao longo do tempo.

O período da seca é o momento ideal para que se realizem tratamentos estratégicos, no rebanho, a fim de se reduzir a contaminação dos pastos no período seguinte, de chuvas, e para facilitar o melhor aproveitamento da forragem que estará escassa. Neste período, podem-se realizar três vermifugações: no início, meio e fim da estação seca da região.

No manejo preventivo de bicheiras do recém-nascido de corte, aplicam-se antiparasitários, nos primeiros dias de vida; possuem efeito contra parasitas gastrintestinais. Os bezerros poderão ser vermifugados aos três meses de idade, quando se iniciam asvacinações e, posteriormente, na desmama. Uma vermifugação semestral, até os dois anos de idade, deverá ser realizada após a desmama.

Algumas particularidades dos medicamentos devem ser observadas como a capacidade da abamectina,de atravessar a barreira hematoencefálica de animais jovens, pois podem leva-los a óbito.

Autor: Raul Mascarenhas -médico veterinário e pesquisador da Embrapa

Fonte: DBO

 

Conheça o Curso de Manejo Nutricional de Gado de Corte (Alimentos e Alimentação)

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •