Cirurgias ortopédicas – luxação patelar em cães

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

As luxações patelares são problemas constantes apresentados à Médicos Veterinários, podendo causar desde incômodo à agravações na andadura dos animais.

A patela é um osso sesamóide pequeno e com formato triangular que desliza pelo sulco troclear, se articulando com o fêmur ou também descrito como porção ossificada do tendão do quadríceps e é uma estrutura que exerce um papel importantíssimo fazendo o equilíbrio do mecanismo extensor da soldra. Quando há o deslizamento deste osso por cima da crista troclear, tanto para a porção medial, quanto lateral, temos as denominações luxação patelar medial e luxação patelar lateral.

As luxações podem ocorrer por dois fatores: por traumas ou de forma congênita, que se dá quando o animal apresenta um mau desenvolvimento do sulco onde fica a patela, não sendo profundo o suficiente para alojar a mesma e impedir que ela se movimente lateralmente. Essa patologia ocorre com bastante frequência, principalmente em raças pequenas, como Poodles e York Shires e na maioria das vezes só é identificado por um exame clínico completo por não apresentar sintomas nem sinais.

Quando sintomática, apresenta dor ao apoiar o membro pélvico no chão, claudicação e até mesmo, dependendo do grau da dor do animal, o deixar apático, deitado ou andando levemente abaixado para não forçar a articulação.

Para indicar um tratamento condizente com a necessidade do animal é necessária a avaliação de um profissional através da palpação do membro e exames de imaginologia, como Raio X, onde o mesmo avaliará o grau de dor, incômodo e dificuldade em se locomover devido a luxação, prescrevendo ou não a cirurgia.

Apesar de alguns animais serem assintomáticos, principalmente se for diagnosticado quando filhote, é necessária a observação constante desse animal, pois pode acontecer com o tempo anormalidades na andadura do mesmo, como arqueamento do membro pélvico. A luxação pode ser uni ou bilateral.

A prescrição da cirurgia é feita em casos de luxação contínua, ou seja, que se apresenta com grande frequência pois, é uma cirurgia ortopédica que lida com articulação, logo, seu pós operatório é difícil e necessita de muitos cuidados do proprietário para manter o animal em repouso absoluto nos primeiros dias pós-cirurgia, administrar medicação prescrita e fisioterapia para o animal recuperar os movimentos do membro em menor período de tempo. Mas, apesar de necessitar de grandes cuidados, é uma cirurgia com imenso grau de sucesso, melhorando indiscutivelmente a qualidade de vida do animal.

Fonte: Saúde Canina

Adaptação: Revista Veterinária

 

Conheça o Curso de Cirurgias Ortopédicas em Pequenos Animais

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  

Atualizado em: 14 de maio de 2013

Artigos Relacionados com Pequenos Animais: