Fique por dentro de algumas informações sobre a bouba aviária

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A bouba aviária é uma doença bastante comum e altamente contagiosa.

Popularmente conhecida como pipoca ou caroço, a enfermidade é causada por um vírus de dispersão lenta e acomete tanto aves domésticas quanto selvagens, causando nódulos principalmente na região da cabeça e parte superior do pescoço.

Geralmente ocorre com mais frequência em períodos quentes e chuvosos, podendo atingir animais de qualquer idade ou sexo. Porém, a bouba aviária é mais comum nas aves mais jovens.

Essa enfermidade apresentar-se de duas formas: epiteliomatosa cutânea e diftérica mucosa. Em ambos os casos, o agente etiológico é um poxvírus avícolas.

Sinais característicos da bouba aviária

A doença causa lesões pelo corpo do animal e pode até provocar sangramentos. Principalmente, ocasiona febre e secreção. Dentre outros sinais podemos destacar:

– Apatia;

– Perda da visão;

– Falta de apetite;

– Coceira no bico;

– Lacrimejamento;

– Sensibilidade e arrepio nas patas.

Como acontece o contágio da enfermidade?

Ela pode ser transmitida tanto pelo contato direto com as escamas das aves e/ou objetos infectados quanto pela picada do mosquito que transfere a doença de um animal acometido para o saudável.

As aves também podem adquirir a doença pela ingestão de alimentos e água infectados pelo vírus. Dessa forma, é necessário ficar atento às boas práticas de manejo dos animais.

Tratamento da bouba aviária

Ao primeiro sinal de caroço (pintinha escura) é necessário isolar a ave e solicitar auxílio de um veterinário. Não há um tratamento efetivo e específico para a doença, o que pode ser realizado é a terapia medicamentosa com antibióticos.

A mortalidade pela bouba aviária é baixa. Entretanto, pode acontecer quando surge alguma complicação por infecções secundárias.

Prevenção

Para evitar a doença é aconselhável manter a vacinação do plantel em dia, e realizar algumas medidas como:

– Evitar a água parada;

– Combater os mosquitos vetores da doença;

– Desinfetar galinheiros e granjas;

– Impedir a superlotação do plantel;

– Utilizar telas para impedir a presença de mosquitos.

Viu como é fácil evitar a doença, com medidas simples de manejo você consegue deixar suas aves longe da bouba aviária! Quer ficar ainda mais por dentro do assunto?

Acesse o portal Suínos e Aves e confira mais informações!

Fonte: Revista Científica de Medicina Veterinária

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  


Atualizado em: 4 de outubro de 2018

Artigos Relacionados com Aves: