A ultrassonografia veterinária como aliada do manejo reprodutivo de gado de leite

  •   
  •   
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os estudos voltados para o uso da ultrassonografia veterinária na reprodução bovina proporcionaram uma grande evolução no setor. Inegavelmente, tornou-se possível conhecer melhor a fisiologia reprodutiva dos animais e toda complexidade do processo reprodutivo nas fêmeas bovinas.

A atividade leiteira tem grande representatividade no Brasil, e avaliar todo o ciclo de produção do leite a partir do desempenho reprodutivo do animal é fundamental. E mais, o médico veterinário tem papel de destaque no estabelecimento de um programa adequado de saúde do rebanho.

Neste artigo você vai conhecer as contribuições da ultrassonografia no dia a dia dos exames reprodutivos de vacas de leite. Boa leitura! 

Dados básicos em um programa de controle reprodutivo

Ultrassonografia veterinária

A ultrassonografia veterinária no manejo reprodutivo do gado de leite é sinônimo de maior eficiência. Pois, a reprodução está diretamente ligada com a produtividade do rebanho e rentabilidade do produtor. Então, para analisar as condições do plantel, todos os animais em idade reprodutiva devem ser examinados. Realizar este acompanhamento traz as seguintes vantagens:

  • Maior produção de leite;
  • Número maior de novilhas para reprodução;
  • Redução de custos com tratamentos reprodutivos;
  • Redução do intervalo improdutivo; 
  • Melhoria dos índices genéticos.

Contribuições da ultrassonografia na rotina dos exames reprodutivos

Por meio da ultrassonografia veterinária é possível avaliar e conhecer a fundo diversas estruturas internas do animal. Estas informações ajudam o médico veterinário no processo de tomada de decisão e principalmente na obtenção de diagnósticos mais assertivos. 

Por meio dos exames ultrassonográficos é possível identificar precocemente as vacas que falham em conceber. Proporcionando aumento da eficiência reprodutiva ao reduzir o intervalo entre as inseminações e gerando aumento nas taxas de inseminação. E mais, é possível identificar vacas com gestações gemelares e patologias do ovário e do útero.  

Com a popularização e redução nos preços dos aparelhos, a ultrassonografia veterinária vem sendo cada vez mais usada nas fazendas. Aliás, quando combinada com os protocolos de sincronização da ovulação proporciona grandes aumentos na eficiência reprodutiva do rebanho. 

Diagnóstico precoce da prenhez 

Conseguir diagnosticar precocemente a gestação é o auge da ultrassonografia veterinária. O método mais utilizado é o da detecção da vesícula embrionária e pode ser empregado a partir do 17° dia de gestação. Além disso, a partir do 28° dia é possível identificar o embrião em boa parte das vacas, caso não haja indícios de perda da gestação. 

O mais importante de tudo é a possibilidade de identificar precocemente as vacas vazias. Com isso, é possível tomar a decisão sobre a possibilidade de que ela seja inseminada outra vez, o mais rápido possível. Caso contrário, o resultado são as possíveis perdas econômicas em por conta so aumento do intervalo entre os partos. 

O conhecimento faz toda diferença

Para que as informações do diagnóstico de prenhez seja útil e ajude no manejo do rebanho leiteiro é fundamental saber analisar os resultados. E mais, é preciso observar os animais na fazenda, com atenção especial as fêmeas. O comportamento delas diz muito e ao identificar sinais de retorno ao cio, os animais devem ser introduzidos nos programas reprodutivos de forma rápida. 

Ao longo deste artigo foi possível conhecer algumas das contribuições da ultrassonografia veterinária. Se você atua no mundo da pecuária leiteira, não deixe de conferir a super dica aqui embaixo:

Fonte: Shop veterinário

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •   
  •  


Atualizado em: 7 de agosto de 2019

Artigos Relacionados com Bovinos: