IATF: conceito, vantagens e princípios básicos

IATF conceito, vantagens e princípios básicos

O protocolo IATF, ou Inseminação Artificial em Tempo Fixo, é uma técnica pensada para solucionar problemas que são comumente encontrados na Inseminação Artificial convencional em bovinos. A aplicação correta da técnica IATF, quando acompanhada por profissionais capacitados, gera uma melhora considerável na eficiência reprodutiva do rebanho.

Esta eficiência é fundamental na exploração comercial da espécie bovina, tanto leiteira como para produção de carne. A utilização da sincronização de cio e outras tecnologias que visam melhorar a performance reprodutiva são especialmente importantes neste contexto. Portanto, podemos definir que a IATF visa promover a sincronização da ovulação das fêmeas bovinas, permitindo realizar uma inseminação pré determinada, sem a necessidade de detecção de cio.

Mas, quais são as vantagens da utilização da técnica nas fazendas? E quais são os princípios básicos que os médicos veterinários precisam conhecer? Continue a leitura deste artigo e saiba tudo sobre IATF. 

Principais vantagens da técnica IATF nos bovinos

É um fato que a inseminação artificial (IA) convencional mostrou ser uma técnica viável economicamente para acelerar o ganho genético e o retorno econômico da pecuária. Porém, existem relatos que indicam baixa taxa de serviço em bovinos, devido principalmente ao comprometimento na eficiência de detecção do cio. Por isso, se formos considerar os benefícios para o proprietário, podemos dizer que a IATF facilita o manejo da inseminação artificial, reduzindo a mão-de-obra – pois elimina-se a necessidade de observação do cio – e concentrando-se nas atividades. 

Já para a fazenda e eficiência reprodutiva, as principais vantagens vão desde promover o melhoramento genético do rebanho, viabilizar a IA em vacas paridas, reduzir o intervalo entre partos, aumentar a taxa de prenhez no fim da estação de monta, antecipar a concepção dos lotes e correção gradativa da estação de monta até a concentração dos nascimentos e desmama nas melhores épocas do ano, maior peso à desmama e menor idade ao abate e maior padronização, controle de carcaça e rebanho.

Um dos principais motivos para a baixa eficiência reprodutiva de diversas fazendas de corte brasileiras se dá porque as fêmeas não estão sendo cobertas de forma eficiente, seja pela monta natural ou pela IA. Este é um fator que causa baixa rentabilidade para o produtor. 

Para aplicar a Inseminação Artificial em Tempo Fixo no seu rebanho é preciso conhecer os protocolos que formam os princípios básicos.

Princípios básicos da técnica IATF nas fazendas de gado

Os protocolos de IATF são diversos, no entanto passam por no mínimo 3 etapas: sincronização da onda de desenvolvimento folicular, indução da luteólise e indução da ovulação. 

Inicialmente se promove a sincronização da onda de desenvolvimento folicular pela eliminação de um possível folículo dominante. Este folículo poderia sofrer atresia, ovular ou sofrer luteinização parcial, aumentando os níveis de progesterona endógenos, evitando novas ovulações por um período. Isto pode ser conseguido pela aplicação de um análogo do GnRH ou Estradiol que indiretamente provocam o efeito citado acima. 

Assim, percebemos que o protocolo padrão consiste na administração de fármacos que sincronizam e induzem os períodos de cio das fêmeas, podemos partir para a segunda etapa da IATF. Entre 8 a 9 dias após a aplicação do produto, utiliza-se um luteolítico (prostaglandina) que reduz as concentrações circulantes de progesterona, para permitir o final do crescimento folicular até o estágio compatível com a ovulação. 

Espera-se este tempo entre as aplicações dos dois produtos, pois é necessário a indução de uma nova onda de desenvolvimento folicular e tempo necessário para que haja a seleção e desenvolvimento do folículo dominante desta onda. Por fim, a etapa final consiste em induzir a ovulação do folículo já desenvolvido em um período padrão em todos os animais, para que se possa pré-determinar o momento da inseminação. Esta segunda aplicação de um análogo do GnRH ocorre dois dias após a indução da luteólise pela aplicação da prostaglandina. 

Faça uso da técnica IATF e aumente a eficiência reprodutiva dos bovinos

Um animal devidamente preparado para o protocolo é um animal que vai responder positivamente ao investimento. Porém, a IATF não é um milagre que acontece de um dia para o outro. É necessário técnica, profissionais altamente qualificados, manter uma boa nutrição dos animais e evitar o estresse. 

A soma de todos esses fatores são responsáveis pelo sucesso da Inseminação Artificial em Tempo Fixo. Saiba acompanhar seu rebanho, cuidado e estando pronto para a próxima cria com o Curso de Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Bovinos (IATF Avançado)!

Fontes: Beefpoint,Premix Blog, Prodap,  Embrapa



Atualizado em: 14 de setembro de 2021

Artigos Relacionados com Bovinos: