O uso da inseminação artificial no melhoramento genético de bovinos

ia inseminação artificialO setor da pecuária brasileira, seja de corte ou leiteira, investe muito em biotecnologias para atender as exigências de mercado e com isso alcançar sempre melhores posições no mercado nacional e internacional, garantido a qualidade dos produtos oferecidos pelo setor.

Dentre as biotecnologias utilizadas pela pecuária em busca da qualidade dos produtos com maior segurança alimentar por meio das certificações sanitárias e de rastreabilidade através do melhoramento genético, temos a inseminação artificial convencional (IA), inseminação artificial em tempo fixo (IATF), transferências de embriões, punção folicular e fertilização in vitro.

O aumento da carne e do leite na produção pecuária é garantido com o melhoramento genético que se baseia na seleção de indivíduos com grande desenvolvimento ponderal, rendimento de carcaça, produção maior de leite, melhor conversão de alimentos e também a precocidade sexual.

Para o sucesso do melhoramento genético a seleção do rebanho deve ser rigorosa, assim a escolha dos animais irão realmente contribuir para o aumento da produtividade futura do rebanho. A principal vantagem da seleção dos animais é o aumento da herança desejável, através da escolha de animais mais produtivos em que todo o rebanho será beneficiado.

Existem diversas maneiras de se escolher um reprodutor, sendo a melhor maneira por meio dos valores genéticos, ou seja, a diferença esperada na progênie (DEP), existente para todas as características como a produção em várias idades, habilidade materna, peso, entre outras, os valores ancestrais dos animais e os parentes colaterais são levados em conta na hora da DEP.

Fonte: CPT Cursos Presenciais

Adaptação: Revista Veterinária

 

Conheça o Curso de Inseminação Artificial em Tempo Fixo em Bovinos (IATF Avançado)

IATF avançado