Saiba mais sobre Ultrassonografia de carcaça em bovinos

  •   
  •  
  •  
  •  
  •  

O mercado consumidor tem se tornado bastante exigente quanto a qualidade e procedência da carne consumida. Alguns priorizam a carne com maior teor de gordura, outros uma carne mais magra.

Os frigoríficos, para compra dos animais, em geral, pagam um valor melhor para animais que possuem uma cobertura de gordura subcutânea entre 3 e 10 mm. Esta diferenciação no preço se dá pela conservação da carne nas câmaras frias. Quando a carcaça possui uma camada de cobertura de gordura inferior a 3mm ou ausente, ela fica sem proteção e o resfriamento ocorre de forma muito rápida e a carne fica com uma coloração escura e perde valor de mercado.

Para classificar os animais e ganhar essa valorização na carcaça vendida ao frigorífico, uma opção que pode ser utilizada pelo produtor é a ultrassonografia de carcaça, onde se consegue observar, avaliar e medir a camada de gordura presente.

Com essa informação em mãos, o produtor pode separar os animais em lotes homogênios e fornecer alimentações direcionadas, com a energia que o animal necessita de forma mais consciente, economizando na alimentação e separando os lotes prontos a irem para o abate.

As imagens são feitas na região lombar do animal, próxima à 12ª costela, onde se focaliza o músculo Longissimus dorsi.

Vários cursos já podem ser encontrados para capacitar profissionais que possam realiar as imagens de forma correta e real.

Por: Felipe Rodrigues – Revista Veterinária

 

 

 

Conheça o Curso de Manejo Nutricional de Gado de Corte (Alimentos e Alimentação)

 

 

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  


Atualizado em: 30 de março de 2012

Artigos Relacionados com Bovinos: